Categorías
Todo sobre el embarazo

Mousse de limão matinal: funcional e fácil de preparar

Mousse de limão - foto: Reprodução/Instagram
Mousse de limão – foto: Reprodução/Instagram

Giovanna Lancellotti, Bruna Marquezine, Thaila Ayala são algumas das famosas que buscam a orientação da nutricionista funcional Patricia Davidson Haiat. Com boas soluções para o dia o dia, ela traz em seu Instagram diversas receitas gostosas, sem sair da dieta. Esse mousse de limão é uma excelente dica para iniciar o dia já com bom humor.

«Ainda dá tempo de preparar essa receitinha pro café de amanhã! É bem prática e pode ser preparada na noite anterior, agilizando a correria da manhã. Alguns dias na semana são bem corridos, mas nem por isso vamos deixar o café de lado», afirmou a nutricionista. Aprenda a fazer:

Saiba mais:
Dieta do limão: como fazer para emagrecer

Ingredientes

  • 100ml de água
  • -suco de 1 limão siciliano
  • -3 colheres de amaranto em flocos
  • 1 fio de agave ou mel.

Modo de preparo

Junte todos os ingredientes em uma panela e leve ao fogo baixo até engrossar, mexendo sempre. Deixe na geladeira por cerca de 3 horas e sirva com as raspinhas do limão.

Categorías
Todo sobre el embarazo

Como tirar tinta de cabelo da pele: passo a passo e dicas

Por ID stock photography/Shutterstock
Por ID stock photography/Shutterstock

Mudar o visual ao tingir os cabelos em casa pode ser bem fácil, usando uma tinta comprada na farmácia. Porém, se os cuidados certos não forem tomados, é possível que você fique com a testa, orelha, dedos e nuca cheios de pigmento.

Portanto, uma dúvida comum nesses casos é como tirar a tinta de cabelo da pele. Essas manchas não são permanentes e saem em, no máximo, três dias. No entanto, para acelerar esse processo, existe um passo a passo recomendado por especialistas.

  • Remova o excesso de tinta o mais rápido possível, com algodão ou toalha velha
  • Use um demaquilante bifásico ou vaselina no local da mancha
  • Faça pressão nas áreas manchadas, sem esfregar
  • Se precisar, esfolie o local com um esfoliante para rosto
  • Lave o local e retire os resíduos
  • Aplique hidratante

«O modo mais seguro mesmo é usar um produto próprio para esta função, que é o removedor de manchas cosmético, pois assim a pessoa elimina qualquer risco de irritar a pele», detalha Joana D’arc Diniz, dermatologista Diretora Científica da Sociedade Brasileira de Medicina Estética (RJ) e Diretora da Sociedade Brasileira do Cabelo (RJ).

O que não fazer para tirar tinta de cabelo da pele

Apesar de aparecerem em receitas caseiras, alguns ingredientes rotineiros não são indicados para tirar manchas de coloração na pele. Eles são:

  • Leite de magnésia
  • Limão
  • Vinagre
  • Pasta de dente
  • Acetona
  • Bicarbonato de sódio

«Além de não terem comprovação científica, eles podem causar irritação e você corre o risco de ganhar manchas piores do que essa, que é temporária», afirma Alice Jaruche, dermatologista e especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Como evitar manchas ao tingir o cabelo

Mais fácil do que remover as manchas é evitá-las. Por isso, quando você for pintar o cabelo em casa, use roupas velhas, pois serão danificadas. Ao aplicar, use luvas para que as mãos não sejam tingidas também.

Nas regiões próximas à raiz do cabelo, aplique vaselina, creme hidratante, óleo de amêndoas ou de coco. Isso inclui testa, orelhas, nuca e couro cabeludo. Além disso, tome cuidado para não ultrapassar os fios na hora de aplicar a coloração.

«Estes produtos oleosos/cremosos conseguem formar uma camada de proteção e, assim, evitam que a tinta cause as manchinhas. Mas atenção ao passá-los para não deixar o produto atingir os fios», completa Joana D’arc.

Perigos da coloração do cabelo

Evitar o contato direto da pele com a tinta é importante não apenas por causa das manchas. Quem tem alergia aos pigmentos pode ter reações ao produto.

«Existe o risco de o couro cabeludo absorver metais pesados e amônia, alguns componentes da química da tintura de cabelo. Algumas marcas são mais naturais na sua composição, mas o principal mal é para quem tem alergia», desvenda Alice.

Por isso, é importante observar se o couro cabeludo apresenta reações após a tintura. Elas podem incluir vermelhidão, coceira ou descamação.

Além das alergias, pesquisas científicas têm identificado a relação entre o uso de tintas para cabelo e problemas como formação de tumores, interferência hormonal e mutações no genoma.

«Tal aspecto é mais presente e indicativo, em especial, nas mulheres pós-menopausa. Isso é atribuído ao fato de que elas usam tinta há mais tempo e ainda porque os componentes químicos, que eram anteriormente utilizados na indústria cosmética das colorações, certamente eram mais tóxicos», ressalta a médica Joana D’arc

Entenda a pesquisa que liga a tintura de cabelo e o câncer de mama.

Categorías
Todo sobre el embarazo

Medo: como vencer e quando se torna fobia

O que é medo

O medo é uma resposta do organismo a uma situação de ameaça. Quando precisamos enfrentar um evento estressante, o cérebro libera mais substâncias, o coração bombeia mais sangue, os músculos ficam enrijecidos e a força física aumenta substancialmente. Entre as causas mais comuns do temor estão os insetos, altura, injeções e falar em público.

Segundo o psicólogo e professor Jair Kappann, da Unesp, o sentimento também está ligado à ansiedade gerada pela antecipação mental do perigo a ser enfrentado. Apesar de servir para a sobrevivência da espécie, o medo em excesso paralisa a pessoa e pode se transformar em uma doença na sociedade atual: a fobia.

Veja a seguir como superar os medos e em que momento o nosso senso de ameaça se transforma em fobia.

O que é fobia

Segundo a psicóloga Neuza Corassa, membro da Associação Brasileira de Psicoterapia e Medicina Comportamental, o medo funciona como um sinalizador, ajudando a pessoa a se preparar para alguma situação, como, por exemplo, dar uma palestra.

Entretanto, o medo além da medida é considerado fobia, que imobiliza as pessoas, fazendo elas se esquivarem do problema.

Saiba mais:
Fobia: sintomas, tratamentos e causas

Confira aqui uma lista de fobias mais comuns e curiosas.

«Os medos considerados patológicos, que são excessivos e desproporcionais ao perigo enfrentados, foram nomeados com uma palavra grega, ou latina, acrescida do sufixo fobia», ressalta o psicólogo Jair.

«O ataque de pânico, um medo tão intenso que paralisa o indivíduo, ocorre de forma espontânea e involuntária, sempre frente aos mesmos objetos ou situações», diz a especialista.

Funciona assim: a pessoa canaliza toda a angústia, a ansiedade e o medo para um objeto ou determinada situação, que não causa o mesmo medo em quem não tem o problema.

«Para a Psicanálise, esses medos têm uma origem comum e, na maioria dos casos, as causas estão em situações vividas na infância», explica Jair.

O medo de altura, por exemplo, está relacionado à insegurança do bebê em dar os primeiros passos, enquanto a fobia de sair à rua, ao medo da criança de perder-se dos pais. Nessas situações extremas, qualquer adulto pode ter atitudes infantis, como fazer xixi nas calças, gritar e chorar.

De acordo com a psicóloga, a fobia pode surgir de três maneiras:

  • Por ouvir histórias ruins que fazem a pessoa ficar traumatizada com a situação
  • Por associação. Exemplo: A pessoa está ansiosa em um dia horrível, entra em um elevador e o associa ao momento ruim
  • Por ter passado pela experiência traumática com o objeto/situação de sua fobia.

Como surge a fobia social?

Todos nós temos certa ansiedade natural frente às outras pessoas e situações sociais desconhecidas, como falar em público, pedir aumento de salário, paquerar, entre outras. Essa sensação pode ser uma característica normal da personalidade da pessoa, considerada mais tímida que as demais.

«Em alguns casos, esse medo é exagerado e é descrito como fobia social, uma sensação difusa de angústia e apreensão acompanhada de várias sensações físicas de palpitações, sudorese, tremor, aperto no estômago e a nítida sensação de que vai morrer», adverte o psicólogo Jair.

O ataque de pânico, um medo tão intenso que paralisa o indivíduo, ocorre de forma espontânea, involuntária e recorrente, sempre frente aos mesmos objetos ou situações que se tornam ameaçadores. Com medo de ter os ataques, o sujeito acaba se trancando em casa e tem dificuldade em ter uma vida normal, por ter medo de entrar em pânico.

Jair ainda explica que, sem um tratamento adequado, a pessoa vai enfrentar uma série de limitações na sua vida social, mesmo tentando conviver com a situação, que prejudicará a sua qualidade de vida e as relações com os outros.

Como superar o medo

Os especialistas recomendam tratamento psicológico que pode ser acompanhado do uso de medicamentos receitados por psiquiatras para amenizar os sintomas e evitar as crises.

De acordo com o psicólogo Jair, existem vários tipos de psicoterapia que podem ser utilizadas nesse caso. A Terapia Cognitiva Comportamental (TCC) é a mais breve, pode durar só algumas sessões e eliminar totalmente os sintomas.

Medo de viajar de avião é bastante comum e pode ser tratado - Foto: Shutterstock
Medo de viajar de avião é bastante comum e pode ser tratado – Foto: Shutterstock

Já as psicoterapias mais profundas e de longa duração vão buscar as causas desses temores e, além de eliminar os sintomas, irão proporcionar um crescimento pessoal mais amplo e duradouro para o paciente, evitando o aparecimento de outros transtornos psicológicos ligados à mesma causa.

Se a pessoa já tem um medo acentuado, a família deve prestar atenção e ajudar a pessoa a enfrentar o problema com auxílio de um profissional. Segundo Neuza, a maior dificuldade para tratar a fobia é a pressa do paciente em melhorar.

No tratamento que a especialista utiliza em sua clínica, ela recomenda o exercício físico três semanas antes de se «expor» ao medo, para o relaxamento muscular e para produzir as endorfinas que neutralizam a noradrenalina em excesso que surge nas situações de fobia. Em seguida, ela ressalta a importância da respiração do diafragma porque, sem oxigenação no cérebro, a pessoa fica mais ansiosa.

De acordo com essa técnica, entre a quinta e a oitava sessão no consultório, os resultados começam a aparecer. «A exposição é feita aos poucos. No caso de fobia de elevador, por exemplo, a pessoa é levada até ele para observá-lo. Em um segundo momento, ela vai usá-lo até o primeiro andar e volta de escada, depois, usa até o segundo e volta de escada e por aí vai. No entanto, nada é forçado e nunca a pessoa é exposta a uma situação muito complicada», explica.

Medo comum: deve ser tratado?

Se os medos que você sente estão te causando desconforto, problemas na vida pessoal ou profissional, é preciso buscar ajuda especializada.Também é preciso lembrar que toda pessoa, mesmo que não tenha um problema grave, pode ter benefícios em uma psicoterapia ou análise.

«Além de melhorar a saúde – já que 80% das doenças estão ligadas a causas emocionais – ela mudará o seu modo de pensar e as suas atitudes e proporcionará um desenvolvimento psicológico maior, favorecendo o crescimento pessoal e aumentando as chances de ter uma vida mais feliz», conclui o especialista.

Saiba mais:
Psicoterapia: o que é, tipos, benefícios e quando procurar
Categorías
Todo sobre el embarazo

10 exercícios para definir os braços

Mulheres estão acostumadas a trabalhar bastante os membros inferior: bumbuns, coxas e pernas ficam com tudo em cima, mas espera aí, e os braços? Selecionei algumas dicas sobre diversos exercícios de musculação para deixar os braços superdefinidos!

Tríceps do braço

A maioria das mulheres sonha em ter o músculo tríceps do braço, aquele do tchau, bem definido! Para fortalecê-lo e dar o aspecto de firmeza à parte de trás do braço listamos vários exercícios que podem compor uma carga de treino de musculação para turbiná-lo:

Apoio

Aprenda a fazer o exercício apoio - Foto: Níkolas Chaves
Aprenda a fazer o exercício apoio – Foto: Níkolas Chaves

O apoio, flexão de braços fechada, é um ótimo exercício que envolve a articulação do cotovelo e a articulação do ombro. Neste exercício, além da extensão dos cotovelos ocorre também a flexão dos ombros. Observar o correto posicionamento das mãos é o ponto chave para que o tríceps seja o músculo com o maior acionamento em detrimento dos flexores dos ombros. Para que o tríceps seja bem acionado a dica é que as praticantes posicionem as mãos na altura dos ombros. É muito comum que o posicionamento das mãos fique mais para baixo dos ombros, na região inferior do peitoral, diminuindo a exigência para o tríceps e aumentando para o deltoide anterior. Neste exercício o tríceps se estende completamente quando os braços estão flexionados em aproximadamente 90º, e não há extensão dos ombros em ângulos negativos como, por exemplo, na paralela ou no mergulho tornando este exercício bem seguro para a prática.

Tríceps pulley com a borracha sobre a barra

Aprenda a fazer o tríceps pulley com a borracha sobre a barra - Foto: Níkolas Chavier
Aprenda a fazer o tríceps pulley com a borracha sobre a barra – Foto: Níkolas Chavier

Excelente exercício para definir o tríceps. Parece simples, mas para a sua execução correta e eficiente deve-se ter atenção a alguns aspectos. Tente movimentar somente a articulação dos cotovelos. Evite movimentar os ombros, estabilizando os braços junto às costelas. Abrir os braços pode dar origem a movimentos acessórios indesejados realizados pelos peitorais e depressores das escapulas. Utilizar a borracha como implemento neste exercício faz com que a maior exigência para o tríceps seja na posição final. Quanto mais esticada estiver a borracha, maior será a intensidade. Neste exercício também é comum que as praticantes realizem flexões do tronco para ajudar na conclusão da extensão dos cotovelos transferindo para o abdômen parte da responsabilidade da tarefa. Mantenha o tronco ereto para evitar que isto aconteça e com isso o músculo tríceps, objetivo do exercício, será bem isolado, treinado e bons resultados serão alcançados.

Tríceps testa em suspensão com fita

Aprenda a fazer o tríceps testa em suspensão com fita - Foto: Níkolas Chaves
Aprenda a fazer o tríceps testa em suspensão com fita – Foto: Níkolas Chaves

Para executar este exercício clássico utilizando uma fita de treinamento em suspensão, as praticantes devem ter muita atenção durante a execução, pois uma característica deste implemento é a de incorporar instabilidade à tarefa e com isso os músculos estabilizadores dos ombros, peitorais e músculos do core serão muito exigidos como estabilizadores estáticos para que o músculo tríceps do braço realize o movimento de extensão dos cotovelos. Devemos lembrar também que a fita apresenta um componente elástico que dissipa parte da força gerada pelo tríceps. Adotar a posição correta dos braços é fundamental para que a série realizada seja eficaz. Os braços (ombros) devem estar flexionados em aproximadamente 90° paralelamente. Na posição inicial os cotovelos devem se encontrar flexionados e as mãos posicionadas próximas da região da testa, e na posição final os cotovelos devem estar estendidos. Durante a execução do exercício um erro comum é o de abrir (afastar) os cotovelos posicionados em paralelo. Geralmente isso acontece quando o peso é excessivo, pois assim parte do peso passa a ser suportado pelos músculos peitorais. Isso não é interessante porque como o objetivo do exercício é treinar o tríceps, esta manobra prejudica a eficácia da série. Quanto mais horizontalizado estiver o corpo em relação ao solo maior será o peso. Da mesma forma, quanto mais verticalizado estiver o corpo em relação ao solo menor será a intensidade do exercício. Siga essas dicas e conquiste bons resultados com segurança.

Tríceps mergulho

Aprenda a fazer o tríceps mergulho - Foto: Níkolas Chaves
Aprenda a fazer o tríceps mergulho – Foto: Níkolas Chaves

O tríceps mergulho é um exercício que pega o tríceps mesmo! Sua vantagem é poder praticá-lo com vários apoios para as mãos como cadeiras, camas de hotéis, degraus, etc. Basta criatividade e disposição para realizar esse excelente exercício. Os músculos dos ombros também são muito solicitados! Treinar com grandes amplitudes de movimento estimulam bastante o tríceps, porém deve-se ter cuidado com as extensões excessivas de ombros para não se machucar. O posicionamento avançado das pernas proporciona a condição da colocação de pesos sobre as coxas para aumentar a intensidade do exercício quando somente o peso do corpo não é suficiente para cansar os braços. Neste caso é legal treinar com uma amiga para que a colocação dos pesos seja feita. Estimule sua criatividade e mergulhe fundo neste exercício para definir os braços.

Tríceps Francês

Aprenda a fazer o tríceps francês - Foto: Níkolas Chaves
Aprenda a fazer o tríceps francês – Foto: Níkolas Chaves

No exercício tríceps francês executado unilateralmente, como demonstrado pela modelo Mariana auxiliada por mim, é importante tentar manter o braço o mais verticalizado possível. Deixe o peso descer por trás da cabeça e o eleve novamente até em cima na posição final. Existe a tendência de deixar o braço na diagonal, fazendo com que parte do trabalho seja transferido para os músculos dos ombros. Isso pode ocorrer quando o peso está excessivo ou quando existe encurtamento da porção longa do tríceps dificultando o posicionamento adequado. Quando o exercício é executado com halteres, na posição final (cotovelos estendido) o músculo «descansa», e por isso uma dica interessante é não parar o peso em cima para que o músculo tríceps seja submetido a uma tensão contínua, entre em fadiga e com isso aprimore sua força e ganhe definição!

Bíceps do braço

O músculo bíceps do braço quando bem treinado dá mais força e beleza para a parte da frente dos braços. Selecionei quais são os melhores exercícios para treinar o bíceps, confiram:

Saiba mais:
Oito exercícios de musculação que garantem seios mais firmes

Rosca direta com halteres

Aprenda a fazer a rosca direta com halteres - Foto: Níkolas Chaves
Aprenda a fazer a rosca direta com halteres – Foto: Níkolas Chaves

Na rosca direta com halteres existe uma vantagem em relação à utilização das barras para flexionar os cotovelos. Com os halteres os braços estão desacoplados um do outro, logo existe um pouco mais de liberdade nos movimentos do que com as barras. Com isso a sua prática é mais confortável sem deixar de ser eficaz, uma vez que o peso pode ser dimensionado igualmente para os dois membros superiores minimizando problemas de compensações devido às diferenças de forças entre um braço e o outro como quando se utiliza uma barra e nota-se que durante a execução ela tende a cair para um dos lados. Variações na execução como giros (supinação e pronação dos antebraços) ou subir menos o peso (tensão contínua) são dicas interessantes que podem envenenar a série e fazer com que o bíceps do braço se desenvolva com qualidade. Outra dica é manter o corpo estável para que movimentos acessórios como balanceios do tronco ou movimentos com os ombros não desviem para outros músculos a responsabilidade de levantar o peso. Siga essas dicas e conquiste bíceps sarados com uma carga de treino adequada de acordo com seus objetivos.

Rosca Arnold

Aprenda a fazer a rosca Arnold - Foto: Níkolas Chaves
Aprenda a fazer a rosca Arnold – Foto: Níkolas Chaves

Este exercício recebe o nome do maior fisiculturista de todos os tempos Arnold Schwarzenegger porque no final das sessões de treinos para os seus bíceps, Arnold tinha o hábito de fazê-lo. Arnold realmente gostava muito desta variação em pé da rosca concentrada, pois notava que seus bíceps ganhavam mais altura (volume) principalmente na porção externa (parte lateral). Uma característica deste exercício é que na posição inicial com os cotovelos estendido o bíceps não sobre tensão, justamente na angulação onde ele é mais fraco. Já na posição final, em aproximadamente 90° de flexão dos cotovelos onde o bíceps tem mais condições de gerar força é onde o braço é mais exigido (submetido à maior tensão) fazendo com que este exercício seja extremamente eficaz. Dica: evite balançar o braço em excesso para que o embalo não tire a ênfase do exercício para o treinamento do bíceps do braço!

Bíceps em Suspensão 90°

Aprenda a executar o bíceps em suspensão 90° - Foto: Níkolas Chaves
Aprenda a executar o bíceps em suspensão 90° – Foto: Níkolas Chaves

Ótimo exercício para o desenvolvimento dos bíceps! O treinamento em suspensão, que atualmente está em evidência, utiliza o peso do corpo como sobrecarga para os exercícios em geral. Quanto mais horizontalizado em relação ao solo estiver o corpo, maior será a intensidade neste exercício de flexão dos cotovelos com os ombros flexionados em 90°. Para realizar este exercício basta uma fita de treinamento em suspensão e um local de apoio como barras fixas, espaldares ou até mesmo galhos de árvores. Os treinos realizados ao ar livre, além de bons para a saúde física, fazem bem para a mente. Experimente!

Rosca concentrada

Aprenda a executar a rosca concentrada - Foto: Níkolas Chaves
Aprenda a executar a rosca concentrada – Foto: Níkolas Chaves

Neste tradicional exercício de musculação para o treinamento do bíceps, a praticante deve estar atenta ao posicionamento do corpo para não forçar a coluna. Sentada e com as pernas separadas, coloca-se o peso entre elas. Inclinando o tronco à frente e apoiando o braço na coxa, flexione do cotovelo até que o halter encoste no peito e depois o retorne à posição inicial onde o cotovelo estará novamente estendido. Dicas: Cuidado com a ponta do cotovelo sobre a coxa para que ela não fique dolorida depois do treino devido à pressão exercida. Para evitar esse erro comum você deve encostar a parte de trás do braço na região interna da coxa de apoio. Evite também projetar o corpo pra trás com o objetivo de levantar o peso, lembre-se que isso é tarefa do bíceps! Experimente este exercício que é ótimo para definir os braços.

Flexão do cotovelo com o ombro a 90° de abdução

Aprenda a fazer a flexão do cotovelo com o ombro a 90° de abdução - Foto: Níkolas Chaves
Aprenda a fazer a flexão do cotovelo com o ombro a 90° de abdução – Foto: Níkolas Chaves

Neste exercício para o bíceps, o braço deve ficar paralelo ao solo, com o músculo do ombro sendo o responsável em estabiliza-lo nesta posição. Realiza-se então o movimento de flexão de cotovelos, que quando feito com a borracha, como na imagem, fica mais pesado nos ângulos finais do movimento. Pode ser feito também bilateralmente no aparelho crossover em academias. Basta regular a polia em uma altura na qual a praticante posicione seu ombro em 90° de abdução como pode ser visto na imagem. Dica: é comum que com o excesso de peso ocorra a técnica roubada com o músculo do peito que pode ser caracterizada quando o cotovelo é projetado à frente. Para evitar que isso ocorra procure treinar com o peso adequado por que assim bons resultados serão conquistados sem riscos de lesões. Bons treinos e sucesso no verão!!!

Categorías
Todo sobre el embarazo

Farinha de maracujá: fibras para controlar o colesterol e o diabetes

Farinha de maracujá - Foto: Getty Images
Farinha de maracujá – Foto: Getty Images

Na onda das farinhas funcionais, a feita com a casca de maracujá foi uma das pioneiras: existem estudos sobre ela desde 1998. Ela é feita a partir da parte branca da casca, que é a porção mais rica em nutrientes, como a fibra pectina, a vitamina B3 (niacina), ferro, cálcio e fósforo. Acredita-se que a maior parte desses nutrientes se preserve na preparação da farinha, o que dá a ela propriedades importantes para nossa saúde, como redução dos picos glicêmicos. E ainda por cima, ela naturalmente não contém glúten. Conheça seus principais benefícios e veja se vale a pena incluir esse alimento na dieta.

Principais nutrientes da farinha de maracujá

Nutrientes (100 g)
Suco de maracujá
Casca de Maracujá
Proteínas
1,26 g
0,93 g
Carboidratos
8,8 g
1,76 g
Gorduras
0,23 g
0,23 g
Fibras
0,51 g
5,2 g
Vitamina C
21 mg
20 mg
Carotenoides
24,7 mg
2,85 mg
Potássio
0,26 mg
0,58 mg

Fonte: Tabela do estudo «Valor Nutricional de Partes Convencionais e Não Convencionais de Frutas e Hortaliças» da UNESP

Uma das maiores características da casca de maracujá é a maior quantidade de fibras. Ela chega a ter 10 vezes mais esse nutriente do que o suco feito com a polpa. E a principal fibra é a pectina, que se transforma em um gel no estômago e traz diversos benefícios à saúde.

Saiba mais:
Farinha de arroz é indicada principalmente para pessoas celíacas

Ela ainda é rica em potássio, tendo duas vezes mais do que o suco. Também contém mais vitamina B3 (niacina), ferro, cálcio e fósforo, nutrientes que se preservam quando ela é transformada em farinha.

Não existe uma tabela nutricional oficial da farinha de maracujá, já que sua composição pode variar de acordo com o fabricante. Um estudo brasileiro, porém, mapeou a quantidade alguns nutrientes, que listamos na tabela abaixo:

Nutrientes (30 g)
Farinha de Maracujá
Carboidratos
6,33 g
Proteínas
1,8 g
Gorduras
0,63 g
Fibras
18,6 g

Fonte: «Estudo da Secagem da casca do maracujá amarelo», Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais, Campina Grande, v.12, n.1, p.15-28, 2010 – Convertido para 30 gramas

A farinha não apresenta quantidades grandes dos principais macronutrientes (carboidratos, proteínas e gorduras), porém é rica em fibras. A recomendação diária desse nutriente é de 25 gramas, e em 2 colheres de sopa do alimento (ou seja, 30 gramas, sua quantidade máxima indicada) encontramos 18,6 gramas de fibras, ou seja, 74% da quantidade diária recomendada. São elas que vão trazer a maior parte dos benefícios desse ingrediente. Veja qual porcentagem do Valor Diário* de alguns nutrientes que a farinha de maracujá oferta:

Saiba mais:
Farinha de amora: o alimento rico em antioxidantes
  • 74% de fibras
  • 3,5% de proteínas
  • 2% de carboidratos
  • 1% de gorduras.

* Valores Diários de referência para adultos com base em uma dieta de 2.000 kcal ou 8.400 kJ. Seus valores diários podem ser maiores ou menores dependendo de suas necessidades energéticas.

Benefícios da farinha de maracujá

Promove saciedade e emagrece Todas as fibras ajudam a promover a sensação de que se comeu o suficiente em uma refeição. Porém, as contidas na farinha de maracujá são especiais: é a pectina, uma fibra do tipo insolúvel. Na verdade sua maior função é absorver líquido e então se tornar um gel, capaz de reter por mais tempo o bolo alimentar no estômago e intestino, pois torna mais lenta a absorção dos nutrientes nele contidos. O resultado é a sensação de saciedade por mais tempo, evitando um maior consumo calórico.

Maracujá - Foto: Getty Images
Maracujá – Foto: Getty Images

Um dos nutrientes que tem sua absorção mais lenta graças às pectinas é a glicose, que é liberada em doses pequenas no sangue. O resultado disso é uma produção menor do hormônio insulina, responsável por colocar o açúcar do sangue para dentro das células. O problema é que ela ativa a deposição de células de gordura no tecido adiposo, aumentando esse tipo de massa no nosso corpo.

Um estudo feito na Universidade da Paraíba com 17 mulheres incluiu na alimentação delas a farinha de casca de maracujá por 70 dias. Nesse período elas apresentaram uma redução no peso de até oito quilos, mas inserindo o alimento em um cardápio balanceado e com atividades físicas regulares.

Previne o diabetes A redução dos picos glicêmicos e da produção de insulina é benéfica. Quando o hormônio é produzido e liberado no corpo em grandes quantidades, alguns tecidos e órgãos começam a reduzir sua resposta a ele, sendo preciso mais insulina para armazenar a mesma quantia de glicose. Esse processo é um quadro chamado de resistência a insulina, que se não for revertido, pode evoluir para diabetes do tipo 2.

No caso de quem já tem o quadro, quanto mais picos de glicose no sangue, pior seu estado fica. Portanto, o consumo dessa farinha ajuda a ter um equilíbrio de açúcar no sangue, estabilizando o problema. Um estudo foi publicado em 2008 na Revista Brasileira de Farmacognosia, feito com 60 pacientes que consumiam 30 gramas da farinha ao dia, sendo que 59 tomavam algum medicamento para o problema. Os estudiosos concluíram que uma das vantagens da farinha é que seu consumo já mostra mudanças na glicemia desde os primeiros meses de uso, portanto ele pode ser um bom aliado de tratamentos tradicionais para diabetes.

Melhora as taxas de colesterol e de triglicérides O mesmo estudo conduzido pela Universidade da Paraíba demonstrou que as 17 mulheres não só perderam peso, como obtiveram uma redução nessas duas taxas, que estavam inicialmente acima do normal. O efeito se deve também ao gel formado pela pectina, que não só reduz a absorção do colesterol como também se liga a essa gordura, fazendo com que ela também seja eliminada no fim da digestão.

Colabora com a digestão Todo alimento rico em fibras auxilia na digestão, por facilitar a passagem do bolo alimentar pelo intestino grosso, otimizando o trânsito intestinal. Além disso, elas são fermentadas nos intestinos, processo que estimula a microbiota (antes conhecida como flora intestinal), bactérias do bem que ajudam na nossa digestão. Por fim, a presença de vitamina B3 nesse alimento ajuda a proteger as paredes do estômago, ajudando também nesse processo.

Quantidade recomendada de farinha de maracujá

O recomendado é consumir entre 1 e 2 colheres de sopa dessa farinha nas principais refeições, como almoço e jantar.

Como consumir a farinha de maracujá

Farinha de maracujá - Foto: Getty Images
Farinha de maracujá – Foto: Getty Images

Ela pode ser consumida cerca de 30 minutos antes das refeições, para trazer saciedade e evitar o exagero ao comer. Mas também pode ser consumida nas preparações, polvilhada em frutas, dissolvida em sucos, batidas de frutas, iogurtes, sobre os alimentos, entre outros. Só não é indicado levá-la ao fogo, pois ainda não há estudos que garantam que essa exposição extra ao calor não altere suas propriedades e a textura dos alimentos.

Contraindicações

Não existem contraindicações ao consumo desse alimento, apenas indicasse seguir uma dieta equilibrada para ter melhores efeitos. Em uma das pesquisas já realizadas com a farinha da casca de maracujá, voluntários receberam a farinha a fim de testar sua toxicologia clínica e não demonstraram sinais de toxicidade.

Risco do consumo excessivo

Quando consumida em excesso, a quantidade de fibras pode acabar causando diarreia, distensão abdominal e vômitos. O consumo feito por crianças, gestantes e lactantes deve ser realizado sob supervisão médica.

Saiba mais:
Farinha de feijão branco: ajuda a emagrecer e controla o diabetes

Onde encontrar

A farinha de maracujá pode ser encontrada em alguns supermercados e em lojas de produtos naturais. É possível também comprá-la pela internet, mas cuidado para escolher lojas e marcas confiáveis.

Como fazer a farinha de maracujá

Receita de gelado de abacaxi com farinha de maracujá

Coloque seis maracujá de molho por 15 minutos em um litro de água com 1 colher (sopa) de água sanitária (própria para desinfetar alimentos). Depois, lave-as em água corrente e retire as polpas. Separe a parte branca da casca, corte-a em tiras e leve ao forno médio por meia hora. Após esfriar, bata no liquidificador até virar farinha. Peneire e guarde em um recipiente com tampa e consuma em até três meses. Aproveite e guarde a polpa para fazer um suco natural!

Fontes consultadas

Nutricionista Amanda Buonavoglia, especialista em nutrição clínica funcional

Nutricionista Pâmela Medeiros, do Instituto de Pesquisas Ensino e Gestão em Saúde (IPGS)

Categorías
Todo sobre el embarazo

Aromaterapia ajuda a reduzir sintomas do estresse

Assim como têm o poder de ativar memórias e fazer as pessoas se sentirem em determinados momentos do passado, os cheiros podem atuar em outras áreas relacionadas aos sentimentos. Por isso, a aromaterapia, que utiliza princípios ativos de plantas medicinais aromáticas para equilibrar o corpo e a mente, é uma alternativa de tratamento para quem apresenta sinais de estresse.

O método promete amenizar sintomas como ansiedade, irritabilidade, taquicardia, depressão, redução da libido, dificuldade de concentração e distúrbios no apetite.

Uma pesquisa da Universidade de São Paulo (USP) avaliou a eficácia da aromaterapia na diminuição dos níveis de estresse. O estudo foi feito com 36 estudantes de cursos da área da saúde entre 18 a 29 anos. Desse total, 18 receberam o tratamento, realizado em sete sessões de dez minutos de inalação de uma mistura de óleos essenciais, e 18 não.

No primeiro grupo, houve redução de 24% no nível de estresse e de 19% na ansiedade. No segundo, houve redução apenas no nível de estresse (11%).

Aromaterapia ajuda a reduzir o estresse - Foto: Getty Images
Aromaterapia ajuda a reduzir o estresse – Foto: Getty Images

A psicóloga e proprietária da consultoria By Sâmia Aromaterapia, Sâmia Maluf, explica que a técnica funciona porque o nariz é uma espécie de porta para o cérebro. Quando sente um aroma, o nariz envia informações para o bulbo-olfatório, que as transmite ao sistema límbico, responsável por emoções e comportamentos.

Assim que chega a esse local, o cheiro começa a agir. Isso normalmente ocorre em menos de três segundos. «É por isso que a aromaterapia traz respostas imediatas ao organismo», diz.

A aromaterapia faz uso de óleos essenciais, óleos vegetais e essências sintéticas. Os essenciais são aromas destilados retirados da natureza que agem terapeuticamente porque desempenham uma função na memória olfativa do paciente.

Os vegetais são usados para diluir os essenciais que precisam ser suavizados. Já as essências sintéticas, que imitam as naturais, podem causar bem-estar, mas não servem como tratamento. «Ao inalar certa essência, a pessoa pode até notar resultados imediatos, mas não a longo prazo», explica a especialista.

Combinação dos óleos essenciais alivia ansiedade - Foto: Getty Images
Combinação dos óleos essenciais alivia ansiedade – Foto: Getty Images

Esses óleos podem ser aplicados de diversas formas, como inalação, massageme compressa. De acordo com Sâmia, tanto faz se os líquidos são colocados em lenços e inalados, incluídos na fórmula de sabonetes ou ainda espirrados no ambiente. Uma das únicas restrições é quanto à aplicação direta na pele. «Não pode», alerta Sâmia.

Essências para reduzir o estresse
Para diminuir os sintomas gerais do estresse, acrescente cinco gotas de óleo essencial de cedro, três gotas de óleo essencial de alecrim e três gotas de óleo essencial de palmarosa a dois litros de água. Espirre a mistura pela casa e procure relaxar.

Se quiser driblar especificamente a insônia, aromatize o ambiente com óleo essencial de lavanda ou massageie a base dos pés com duas gotas de manjerona.

Para deixar a ansiedade de lado, a receita indicada por Sâmia contém seis gotas de óleo essencial de lavanda, duas gotas de óleo essencial de camomila e quatro gotas de óleo essencial de ylang-ylang, todas diluídas em 20 ml de óleo vegetal de semente de uva.

Use a mistura para fazer uma massagem relaxante no corpo ou coloque-a em um difusor específico para que os aromas se espalhem pelo ambiente. Veja outros óleos essenciais que podem ajudar a combater os males trazidos pelo estresse:

Saiba mais:
5 benefícios de acordar 20 minutos mais cedo
  • «>Para se acalmar: camomila, jasmim, lavanda, citronela, palmarosa, bergamota, tangerina e pau rosa.
  • «>Para aumentar a libido: Patchouli, rosa, ylang-ylang, jasmim, gerânio e cardamomo.
  • «>Para facilitar a respiração: cipestre, eucalipto glóbulos, hortelã pimenta, tea tree e hortelã do Brasil.
Categorías
Todo sobre el embarazo

HIIT e treino de pernas: como conciliar e aproveitar os benefícios

O TREINO HIIT20 por tem como princípio básico elevar ao máximo a frequência cardíaca e para isso usa muito exercícios que alto gasto calórico e a maioria deles possui um grande recrutamento dos músculos das pernas.

Saiba mais:
Como fazer o treino Hiit?

Por conta disso, é necessário fazer uma combinação entre os dois treinos (treino de pernas e treino hiit), evitando ao máximo a concorrência entre eles. Quando falo em evitar a concorrência, a preocupação passa a ser como evitar que um treino interfira na performance de outro treino, mas tudo depende de qual for o seu objetivo e quais são os outros treinos da semana.

Intercalando os treinos

A intercalação do treino HIIT com um treino de membros inferiores deve considerar alguns elementos como: objetivo do aluno, frequência de treino semanal e quais são os outros treinos e o quanto de tempo tem disponível para treinar.

Saiba mais:
Como usar o treino Hiit para emagrecer?

Se o seu objetivo for aumentar massa muscular de membros inferiores e você já faz um treino avançado, é interessante intercalar usando exercícios no HIIT que recrutem menos a musculatura das pernas, nesse caso as melhores alternativas para os estímulos cardio seriam pular corda, descolamento lateral, boxe e polichinelo.

Entretanto, isso não significa que não recruta músculos das pernas mas sim que o recrutamento é bem menor do que correr, dar tiro na bike, fazer burpes, montain clibers e por ai vai. Por outro lado, se seu treino de membros inferiores não for avançado e seu foco for mais em redução de gordura você pode fazer o treino intercalando com esses exercícios que utilizem mais as pernas.

Vale a pena deixar claro que não é o exercício que determina se o treino é HIIT ou não, a grande verdade é que para estar na zona de HIIT você precisa fazer o treino com uma frequência cardíaca média superior a 85% bpm e só assim vai ter os efeitos pós treino que o HIIT provoca cujo o principal é manter seu corpo com o metabolismo acelerado por algumas horas, e com isso você queima mais calorias.

Benefícios em intercalar o Treino HIIT e o treino de pernas

Os benefícios são de otimização de tempo, os estudos no hiit continuam avançando muito no mundo inteiro e cada vez está mais evidente que você pode ter mais resultados treinando em menos tempo. Considerando isso o hiit que tem alto gasto energético pode ser alterado com exercícios musculares funcionais ou em maquinas guiadas.

Recomendações

Na pratica recomendo fazer um teste com o procotolo de tabata e faça isso após o treino de pernas. Nesse protocolo você faz 8 tiros de algum dos exercícios que citei acima durante 20 segundos e descansa 10 segundos para dar o próximo tiro. Após repetir os 8 tiros você vai ver que o tempo total desse treino hiit foi de apenas 4 minutos. Esse formato de combinação pode e deve evoluir para vários caminhos mas ai você já vai precisar de uma orientação mais especializada.

Categorías
Todo sobre el embarazo

Obesidade em família pode ser causada por genética e maus hábitos

Várias pessoas questionam porque em algumas famílias é tão difícil as pessoas emagrecerem? Ou o motivo de todos membros estarem acima do peso? Ainda, como pode fazer para prevenir ou tratar esta condição familiar?

A obesidade é adoecimento preocupante porque leva como consequência do aumento do peso, mais facilidade para aumento da pressão arterial e do risco de diabetes que passam a aumentar os riscos de infarto do miocárdio e do acidente vascular cerebral, que são as duas principais causas de morte no Brasil e no mundo.

As causas genéticas da obesidade já são estudadas e com várias informações conclusivas e outras ainda controversas. Assim, uma das explicações para vários membros acima do peso em uma mesma família é a herança genética para obesidade. Ainda, infelizmente, não existem tratamentos aceitos de nível microscópico para mudar estas informações genéticas das pessoas com esta herança e daí não engordarem.

De fato, para maioria absoluta dos familiares com obesidade ao mesmo tempo continua sendo consequência de maus hábitos alimentares dos membros mais velhos, que vão sendo vivenciados e repetidos pelos descendentes. Até mesmo para famílias com herança genética, os comportamentos alimentares não saudáveis contribuem fortemente para o ganho de peso.

Outro fator relevante, geralmente comentado por pessoas que não conseguem emagrecer por causas diversas, é que mesmo na tentativa de um dos membros de reeducar o padrão alimentar, as outras pessoas do núcleo familiar, além de não aderirem, ainda não colaboram com compras mais saudáveis dos alimentos recomendados. A pessoa que tentou mudar os hábitos ainda pode ser criticada.

Desta forma, obesidade em família, tem causas internas e individuais consequentes da genética, mas também em sua maioria a causa de obesidade entre familiares é por erros alimentares compartilhados por muito tempo e sem respeito pelos que tentam mudar.

Como mudar este cenário? Um alternativa importante é os mais velhos que sustentam a casa estarem cientes que maus hábitos alimentares, levam à obesidade que tende a diminuir os anos de vida. Diante desta conclusão, eles precisam fazer compras mais saudáveis e dar o exemplo para os descendentes.

Em algumas situações mais difíceis, em que os familiares insistem em não apoiar o membro que busca o emagrecimento saudável, uma alternativa pode ser mudar de casa. Afinal, uma família que não respeita o parente buscando saúde, não pode ser considerada saudável nem nutrologicamente e nem psiquicamente.

Lembrem-se que viver mais anos possível depende de hábitos saudáveis, alimentares e de atividades físicas. Mas esta é uma opção de cada um que não resolve com magia e sim esforço contínuo.

Categorías
Todo sobre el embarazo

Colar de âmbar: o que é, para que serve e riscos para o bebê

O que é colar de âmbar?

Colar de âmbar tem variedades de cores e texturas
Colar de âmbar tem variedades de cores e texturas

O colar de âmbar é um item usado em crianças com o objetivo de aliviar a dor do crescimento dos dentes e as cólicas. À primeira vista, ele pode parecer apenas um item de bijuteria ou adereço.

As contas amareladas amarradas por um fio, porém, são feitas de âmbar báltico, um mineral que é encontrado na região da Lituânia, no norte da Europa. Este tipo de âmbar é rico em ácido succínico, substância utilizada principalmente na indústria farmacêutica e de tintas.

Para que serve o colar de âmbar?

Segundo os revendedores do colar de âmbar, o ácido succínico em contato com a pele é responsável por:

  • acalmar
  • aumentar a imunidade
  • aliviar dores
  • reduzir inflamações
  • antissepxia

Por isso, ele é usado quando os primeiros dentes do bebê aparecem. No entanto, alguns pais optam por continuar usando para usufruir de seus outros efeitos. Há adultos que também usam, para os mesmos objetivos.

Saiba mais:
Alivie as dores causadas pelos primeiros dentes no bebê

A Academia Americana de Pediatria bem como os pediatras consultados pela reportagem, no entanto, não reconhecem os efeitos do colar de âmbar, por não haver comprovação científica.

Saiba mais:
Refluxo em bebês: tipos, causas e sintomas

O farmacêutico homeopata Jamar Tejada, no entanto, confirma que há sim efeitos antiinflamatórios no ácido succínico.

Saiba mais:
O primeiro dente do seu filho: O que esperar?

Modelos existentes

O âmbar pode ser usado também em outros formatos. Os mais comuns são pulseiras e tornozeleiras do material. Segundo os vendedores, o importante é garantir que o âmbar entre em contato com a pele, pois é esta a via que leva o ácido succínico ao corpo.

As pedras nem sempre são amarelas. Há colares feitos de âmbar não polido que apresentam uma cor marrom escura. Também são encontrados pedrinhas que variam entre amarelo claro e marrom.

Saiba mais:
Shantala: o que é e como fazer a massagem em bebês

Quais os benefícios do colar de âmbar?

Os fabricantes e vendedores do colar de âmbar relatam diversos benefícios, como:

  • Calmante natural
  • Analgésico e antisséptico natural
  • Antiinflamatório natural
  • Estimula e melhora o sistema imunológico
  • Alivia dores na fase de dentição
  • Reduz processos inflamatórios
  • Auxilia a recuperação do corpo nos resfriados, gripes e febres
  • Tem efeito antioxidante
Colar de âmbar promete aliviar sintomas do crescimento dos dentinhos do bebê
Colar de âmbar promete aliviar sintomas do crescimento dos dentinhos do bebê

Apesar destes relatos, não há embasamento científico destes benefícios. A Academia Americana de Pediatria bem como os pediatras consultados pela reportagem não reconhecem os efeitos dessa substância.

Colar de âmbar funciona?

Uma simples pesquisa pela internet já traz relatos positivos do uso do colar de âmbar, de mães que adotaram o acessório no filho ou até adultos que experimentaram o benefício em si mesmos. No entanto, não há evidências científicas de que o colar de âmbar funcione.

Quais os perigos do colar de âmbar?

Ao visitar o quarto de sua filha durante a noite, Ashleigh Ferguson viu uma cena que a fez congelar: a bebê, que tinha um ano e 3 meses, tinha passado um braço pelo colar de âmbar que usava e torcido a peça sobre o próprio pescoço. A bebê não sofreu nenhum machucado, mas história foi contada à imprensa pela mãe como um alerta.

De acordo com a Associação Americana de Pediatria, os maiores perigos oferecidos por um colar de âmbar são dois: engasgamento e sufocamento.

Sobre o pescoço, o fio pode ser puxado e impedir a respiração do bebê. Além disso, as pedras podem se soltar, o bebê engolir, engasgar, ir para as vias aéreas e causar asfixia.

A partir de qual idade o colar de âmbar é recomendado?

De acordo com a pediatra Talita Rizzini, se mesmo assim os pais optarem pelo uso, deve ser utilizado no início da dentição, que varia com a criança.

Quais os cuidados na hora de usar o colar de âmbar?

Para reduzir os riscos que existem com o uso do colar de âmbar, a pediatra e a Academia Americana de Pediatria dão algumas recomendações:

  • Use o colar de âmbar em outras formas, como pulseira ou tornozeleira. Isto reduz o risco de sufocamento e também deixa as pedras longe da boca
  • O comprimento total do colar deve ser entre 33 e 36 centímetros
  • Durante o banho, o colar também deve ser tirado para que o fio não se desgaste
  • Sempre supervisione a criança quando ela estiver usando o colar ou pulseira
  • Remova o colar ou pulseira da criança no período em que ela estiver desassistida
  • Tire o colar ou pulseira da criança quando ela estiver dormindo
  • Prefira usar outras formas de alívio da dor do crescimento dos dentinhos ou cólicas
  • Avise ao pediatra de seu filho sobre este uso

Quais os outros jeitos de aliviar a dor de dente do bebê

Segundo a Academia Americana de Pediatria, há outras formas mais seguras de aliviar as dores, inflamações e incômodos no período em que os dentinhos do bebê estão crescendo.

Eles são:

  • Ofereça mordedores de brinquedo. Brinquedos de plástico e borracha atóxica são ótimos para aliviar as dores do crescimento do dente
  • Use coisas geladas. Para ajudar a adormecer e aliviar a dor e inflamação, tente usar panos úmidos que foram torcidos e congelados
  • Evite mordedores que são muito duros, porque podem machucar a gengiva da criança
  • Faça massagens. Massagear levemente a área em que o dentinho está crescendo pode aliviar as dores do seu filho. Lembre de lavar bem as mãos
  • Se as dores são muito fortes e nenhuma das opções resolvem, peça que seu pediatra indique algum remédio
Mordedor é uma forma de aliviar a dor de crescimento dos dentes do bebê
Mordedor é uma forma de aliviar a dor de crescimento dos dentes do bebê

Se o colar de âmbar estiver sendo usado para aliviar cólicas, o pediatra Alexandre Okamori recomenda que os pais optem por massagem local e alguma fonte de calor na região da dor.

Massagem para cólicas nos bebês

Como saber se o âmbar é legítimo?

O âmbar báltico, que tem o ácido succínico, é uma pedra obtida em um local muito específico do norte da Europa. Por isso, o preço dos colares de âmbar podem ser altos. O contexto torna comum a falsificação de colares de âmbar e há quem venda peças de plástico ou outras resinas, que não contém o âmbar báltico.

Para provar a legitimidade do âmbar, o farmacêutico Jamar e os vendedores recomendam alguns truques:

  • Pingue acetona nas pedrinhas. Se ficar grudento ou a cor sair, o âmbar não é legítimo
  • Toque as pedrinhas e sinta se elas estão geladas. O âmbar báltico deve ser morno ao toque, diferente de vidros, por exemplo
  • Esquente uma agulha e coloque na pedra. Se derreter, é plástico.

Quanto custa o colar de âmbar?

O colar de âmbar é vendido pela internet por preços entre R$100 e R$300.

Fontes:

Academia Americana de Pediatria

Talita Rizzini (CRM 122213), Coordenadora Pediatra do Hospital Leforte Liberdade

Alexandre Okamori (CRM 82373), médico pediatra da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo

Jamar Tejada, farmacêutico pós-graduado em ciências homeopáticas

TAGs:
colar de âmbar

Categorías
Todo sobre el embarazo

Receita: nhoque de forno de batata-doce e inhame com pesto

Nhoque de forno de batata-doce e inhame com pesto de agrião e manjericão - Foto: Marcel Guzzoni / Editora SESI SP
Nhoque de forno de batata-doce e inhame com pesto de agrião e manjericão – Foto: Marcel Guzzoni / Editora SESI SP

Receita elaborada pela nutricionista Lucyane Crosara especializada em nutrição funcional e fitoterapia funcional e publicada no livro «Alimento, Movimento e Alma» (Editora SESI-SP)

Ingredientes

  • 1 unidade média de batata-doce
  • 4 unidades pequenas de inhame
  • 1 unidade de gema de ovo
  • ½ xícara de chá de farinha de arroz
  • Noz-moscada ralada a gosto
  • Sal a gosto
  • 1 maço de agrião
  • 1 xícara de chá de manjericão
  • ½ xícara de chá de azeite
  • 2 colheres de sopa de suco de limão
  • ½ colher de sobremesa de alho em cubinhos
  • 1 xícara de café de castanha de baru
  • ½ colher de sobremesa de manteiga ghee

Como fazer

Descasque a batata e o inhame e cozinhe no vapor até que estejam macios. Ainda quente, passe por uma peneira para evitar pedaços ou amasse com um garfo para que forme um purê. Deixe esfriar.

Em uma vasilha, coloque o purê, a gema, a noz-moscada e o sal. Vá colocando a farinha para dar o ponto. Enrole e corte nhoques do tamanho que desejar. Coloque em um refratário e leve ao forno a 220 °C por cerca de 20 minutos ou até que esteja assado.

Bata no liquidificador o agrião, o manjericão, o azeite, o suco de limão e metade do alho até que forme um pesto. Acerte o sal e reserve.

Em uma frigideira, coloque a ghee e refogue o restante do alho e a castanha de baru, e deixe dourar um pouquinho. Coloque o pesto de agrião, o nhoque e deixe que envolva no molho (se desejar mais fino, coloque um pingo de água para deixar mais ralo). Sirva bem quente.

Obs.: O preparo do nhoque leva pouca farinha, portanto não se assuste se achar a massa mole; coloque um pouco de farinha de arroz na bancada quando for enrolar e cortar, e ao assar ele chegará no ponto certo.