Categorías
Todo sobre el embarazo

Por que o cabelo cai mais no outono? Especialista desvenda

Normalmente, as alterações bruscas de temperatura já provocam danos na saúde dos cabelos e do couro cabeludo. Outro ponto importante é que as células do folículo piloso também são extremamente sensíveis, avaliadas por alguns estudiosos como as mais suscetíveis do corpo humano.

Normalmente, as alterações bruscas de temperatura já provocam danos na saúde dos cabelos e do couro cabeludo. Outro ponto importante é que as células do folículo piloso também são extremamente sensíveis, avaliadas por alguns estudiosos como as mais «suscetíveis» do corpo humano.

A busca do organismo em manter a temperatura equilibrada causa o aumento da transpiração e ainda estimula a produção de óleo, uma das proteções naturais do tecido cutâneo e dos fios. Esse aumento demasiado costuma gerar uma oleosidade excessiva e seborreia, e consequentemente motiva a queda de cabelos.

Além do mais, o outono-inverno é considerado pelos especialistas a estação do ano mais favorável para a temida queda de cabelos. Durante o verão, em geral, se perde aproximadamente 70 fios por dia e, em contrapartida, nas épocas mais frias se costuma perder entre 100 ou até mais.

E isso ocorre devido ao fato do couro cabeludo possuir sensores de luminosidade, pois a melanina que ajuda a determinar o ritmo de crescimento dos fios é estimulada por ela. No período do verão é abundante pela quantidade de luz solar, o que resulta em tais benefícios. Logo, este processo os mantém em fase de nascimento e crescimento.

Já no outono os dias são bem mais amenos e às vezes nublados e, naturalmente, acabamos nos expondo menos ao sol, sobretudo, no momento atual em meio à pandemia e ao confinamento social. Portanto, todos aqueles fios que vinham sendo conservados sob estímulo para crescer, passam agora para a fase de queda.

Como evitar queda de cabelo no outono

Por Jeng 579 / Shutterstock
Por Jeng 579 / Shutterstock

Para evitar o problema, é essencial a higienização do couro, controle da oleosidade, equilíbrio do pH e nutrição do bulbo. Assim, se consegue preservar o couro e os fios saudáveis.

Mantenha o couro cabeludo limpo

Entretanto, é válido salientar que o couro cabeludo que já é habitualmente oleoso merece mais atenção, em função da maior produção de óleo pelas glândulas sebáceas. Por isso, manter o couro sempre limpo e saudável é o melhor modo de se proteger dessas alterações.

Use os produtos corretos

Também é recomendado utilizar somente produtos indicados ao seu tipo de cabelo, além de hidratá-los e protegê-los com filtro solar capilar. Estas medidas ajudam bastante na manutenção do estado normal da fibra capilar.

As pessoas que têm fios muito finos e tendência a oleosidade e caspa não devem abusar dos cremes, especialmente nunca os aplicar no couro, somente uns 10 centímetros a partir dele. Mesmo assim, atenção ao excesso porque podem provocar obstrução dos poros e irritação e assim mais chances de desenvolver dermatite e caspa.

Cuidado com a água quente!

Mas, é bom estar ciente também que existem certos hábitos que prejudicam ainda mais os cabelos. Dentre os quais, os cuidados na hora da higienização dos cabelos.

Evite, portanto, lavá-los com água muito quente. A alta temperatura irrita o couro cabeludo, podendo causar tanto ressecamento da fibra capilar quanto levar à produção maior de oleosidade, fator que pode ocasionar dermatite seborreica e descamação, principalmente naqueles que têm propensão.

Como a água quente remove óleos naturais que possuem a função de proteger o couro cabeludo, ela provoca fios ressecados. Mas, por outro lado pode favorecer o efeito rebote, que é quando o corpo para se defender da agressão produz mais oleosidade na região, o que estimula o surgimento da dermatite seborreica e até da caspa. Ou seja, nas duas situações a água quente é prejudicial.

A dica é tomar banho morno e não esfregar com força o couro cabeludo, mas fazer movimentos suaves e sem «enfiar» as unhas.

Atenção ao secador

Fique atenta também ao uso em excesso do secador, porque agentes térmicos que ultrapassem a média de 80 graus pode induzir a um processo de desidratação do fio e, com isso, eles perdem boa parte da saúde.

O vento muito quente do secador ainda pode queimar o couro cabeludo, causando lesões que irão interferir na sua saúde e trazer transtornos futuros. Outro fator danoso é o aumento da produção de óleo causado pelo calor. Então, quando o usar mantenha numa distância de cerca de uns 25 centímetros da cabeça.

Queda de cabelo durante a pandemia

É válido destacar que como estamos passando por um momento excepcional em nossas vidas, com o distanciamento e o isolamento social, o que determina menos exposição solar, além de aumentar o nível de estresse, estes fatos contribuem significativamente para o aumento anormal da queda de cabelos. Porém, lembre-se de que isso é uma fase e vai passar.

Agora os que já apresentavam queda de cabelo anteriormente, antes da chegada do outono e do confinamento, e, perceberam um agravamento do quadro, os cuidados devem ser redobrados.

O ideal é que, ao notar anormalidades excessivas busque um médico especialista em Tricologia, numa consulta online ou telefônica para receber as devidas orientações e indicações para tratar o caso.

Saiba que existem medicamentos para uso oral, tópico e até injetável para controle dessa queda ou para tratamento da doença que possa estar levando ao aumento progressivo da queda.

Quando a queda de cabelo vira calvície

Por Nina Buday / Shutterstock
Por Nina Buday / Shutterstock

No entanto, se começar a perceber que está com entradas, fios finos, curtos e ralos, o problema pode ser causado pela calvície (alopécia androgênica), que é hereditária e se caracteriza pela ação do hormônio masculino DHT (dihidrotestosterona). Esta situação afeta tanto homens como mulheres, por isso é bom observar.

Ao contrário do que muitos acreditam, a calvície feminina é tão comum quanto a masculina. Ela pode ser menos intensa e severa, porque o hormônio estrogênio protege contra a perda total dos fios, característica do homem.

Na mulher a calvície geralmente se manifesta na região central e superior da cabeça, iniciando na linha média de repartição dos fios. Mas vale ressaltar que a calvície é gradativa e não um processo agudo de queda repentina, porque o que se dá é a miniaturização progressiva dos fios, isto é, a transformação de fios grossos em finos e cada vez mais curtos e ralos.

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *