Categorías
Todo sobre el embarazo

Psicoterapia: o que é, tipos, benefícios e quando procurar

A psicoterapia é uma grande aliada para quem busca a melhora de aspectos emocionais. Além de oferecer auxílio em momentos de aflição, a técnica proveniente da psicologia também permite um maior entendimento frente às questões da vida.

Ter o acompanhamento de um psicólogo no dia a dia pode trazer transformações significativas em sua existência, independente do motivo que o motivou a iniciar a psicoterapia.

Segundo pesquisas realizadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), 23,9% dos brasileiros apresentam algum transtorno de ansiedade. Além disso, a depressão acomete 5,8% da população brasileira.

Estes dados apontam a importância do cuidado à saúde mental, e também despertam uma reflexão acerca dos gatilhos responsáveis pelo nosso mal-estar de modo geral, que pode ser combatido e compreendido através da psicoterapia.

O que é psicoterapia?

Etimologicamente, psicoterapia é o «tratamento da alma». O médico escocês James Braid (1795-1860) foi um dos primeiros a utilizar o termo, além de ser o criador da palavra «Hipnotismo», que com o passar dos tempos popularizou-se como «Hipnose», que significa «estado de sono».

A psicoterapia é um tratamento colaborativo, em que paciente e psicólogo trabalham juntos para resolver as questões desejadas. Uma das principais ferramentas utilizadas na psicoterapia é a fala, pois é através dela que o paciente poderá expressar todos seus pensamentos em consultório.

O ambiente da terapia é acolhedor, e a postura do especialista que irá te atender deve ser objetiva, neutra e sem julgamentos.

Fazer psicoterapia não demonstra fraqueza, pelo contrário - Imagem: Shutterstock
Fazer psicoterapia não demonstra fraqueza, pelo contrário – Imagem: Shutterstock

Com a ajuda do psicólogo, é possível identificar as causas e os padrões comportamentais que possam estar lhe impedindo de ter uma vida mais feliz. A psicoterapia ilustra de maneira clara, os pontos que necessitam de atenção e reparo em nosso cotidiano, para que possamos atingir um estado de satisfação emocional.

Para que serve a psicoterapia?

A psicoterapia é uma forma de ajudar as pessoas a lidarem com uma série de problemas psicológicos ou dificuldades emocionais. Assim, pode auxiliar na eliminação ou no controle de sintomas que possam prejudicar nossa vida.

Muitas vezes, nos sentimos tristes, irritados ou ansiosos em níveis desproporcionais, e acabamos tendo diversas áreas de nosso cotidiano afetadas.

Nossos relacionamentos afetivos e profissionais ficam comprometidos quando não estamos nos sentindo bem e nossa autoimagem é uma das primeiras a serem prejudicadas. Isto acarreta em uma diminuição de nosso bem-estar, o que consequentemente pode vir a se tornar uma condição patológica para nossa mente.

É neste momento que a psicoterapia pode ser útil. Em consultório, é possível sentir-se acolhido por alguém que está disponível para nos ajudar com nossos problemas. E com as reflexões promovidas pela psicoterapia, adquirir um maior autoconhecimento e assertividade acerca de nossas escolhas torna-se uma tarefa menos árdua.

Quem pode fazer psicoterapia?

Não há restrições acerca de quem pode ou não fazer psicoterapia. Ela é indicada para todas as idades e não deve ser vista como uma prática utilizada apenas por quem apresenta distúrbios emocionais. A psicoterapia pode potencializar a felicidade e a satisfação de todos que incluem ela em suas vidas.

Quando eu devo considerar fazer psicoterapia?

Não há um momento exato em que devemos iniciar a psicoterapia. Decidir iniciar um tratamento psicológico depende de nosso autoconhecimento e do suporte de amigos e familiares.

Porém, esta pode não ser uma escolha simples. Admitir que estamos fragilizados e vulneráveis requer que olhemos para lugares de nossas almas que não são fáceis de serem observados.

Antes de tudo, é necessário que aceitemos nossa condição. Reconheça toda a sua humanidade, tendo em mente que todos nós estamos sujeitos a termos dificuldades emocionais. Não há um controle mágico capaz de regular nossos sentimentos.

Algumas pessoas podem lidar melhor com seus respectivos dilemas e outras não; e isso não significa que você é fraco. Todos nós nascemos com uma identidade singular, tendo limitações e qualidades específicas.

Buscar a psicoterapia é um ato de coragem, pois superamos os julgamentos e os equívocos sociais acerca dos tratamentos psicológicos. Escolher iniciar a terapia também é uma prova de amor próprio, pois decidimos lutar pelo nosso bem-estar.

Em que situações a psicoterapia é indicada?

A partir do momento em que temos dificuldade para lidar com o nosso dia a dia, a psicoterapia torna-se aconselhável.

Traumas como a morte de um ente querido ou um abuso sexual, doenças médicas e desordens emocionais, como a depressão e a ansiedade, tornam a psicoterapia necessária.

Porém, a psicoterapia também pode ser buscada pelo desejo de nos conectarmos com nós mesmos e por pessoas que queiram se conhecer melhor.

Veja algumas situações que podem indicar que está na hora de iniciar um tratamento psicológico:

  • Você se sente triste e solitário por longos períodos de tempo.
  • Você não consegue resolver seus problemas mesmo com esforço e a ajuda de amigos e familiares.
  • Você não consegue se concentrar no trabalho e focar em outras atividades do dia a dia.
  • Você se preocupa excessivamente
  • Você sempre espera o pior, estando constantemente tenso.
  • Suas ações prejudicam você e aos outros.

Quais condições a psicoterapia pode tratar?

A psicoterapia pode tratar diversos transtornos psicológicos, sendo os mais comuns:

  • Depressão
  • Ansiedade
  • Anorexia Nervosa
  • Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC)
  • Transtorno de Personalidade Borderline
  • Transtorno Bipolar
  • Demência
  • Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH)
  • Esquizofrenia
  • Autismo
  • Estresse pós-traumático

Como funciona a psicoterapia

A psicoterapia pode ser conduzida de forma individual ou em grupo, envolvendo casais e famílias. A maioria das sessões duram em média de 30 a 50 minutos, podendo se estender por mais tempo.

Para a terapia funcionar, é necessário que o paciente confie em seu terapeuta e que ambos tenham um bom relacionamento.

A psicoterapia pode ser a curto prazo, lidando com problemas imediatos. Também pode ocorrer a longo prazo, com duração de meses ou anos, trabalhando com conflitos pessoais complexos e duradouros.

Os objetivos do tratamento, além da frequência de visitas ao consultório e os métodos que serão utilizados em terapia são planejados pelo psicólogo de acordo com as necessidades do paciente.

A confidencialidade é um requisito básico da psicoterapia, portanto, não se preocupe em compartilhar suas experiências com um psicólogo.

Também é importante reiterar que apesar dos pacientes expressarem pensamentos extremamente pessoais em terapia, o contato físico com o psicólogo nunca é apropriado.

Existem diversas abordagens terapêuticas e algumas delas podem ser mais adequadas para determinados problemas ou transtornos. Além disso, a psicoterapia pode ser combinada com medicações e outras formas de terapia.

Tipos de psicoterapia

Psicanálise

A psicoterapia psicanalítica foi fundada por Sigmund Freud. De acordo ele, as pessoas podiam ser curadas tornando conscientes seus pensamentos e motivações inconscientes.

O objetivo desta terapia é trazer à tona emoções e experiências reprimidas, de forma a tornar o inconsciente em consciente. Ela é capaz de tratar transtornos e perturbações psicológicas, como a depressão e a ansiedade.

No tratamento, é possível resolver tanto os sintomas, como a causa geradora. O alvo da psicanálise é facilitar o processo de cura e reabilitação dos pacientes. O foco está no subconsciente e seus métodos envolvem a livre interpretação de ideias, interpretação dos sonhos e análise de atos falhos.

Psicoterapia Junguiana/Analítica

Na psicoterapia junguiana, o psicólogo monitora o universo simbólico, focando a terapia nos sonhos. Nesse caso, há um diálogo entre o consciente e o inconsciente, o que ajuda na transformação e na ampliação de um olhar interior do paciente.

O terapeuta, nesse tipo de psicoterapia, leva em consideração que o inconsciente não contém influências somente da individualidade humana, como também do coletivo.

A psicologia analítica reitera que o meio externo pode alterar os rumos de sua vida, assim como criar tendências de comportamento.

Psicoterapia Lacaniana

Na técnica da psicoterapia lacaniana, idealizada pelo estudioso Jacques Lacan, o paciente discorre sobre tudo aquilo que o incomoda no dia a dia.

Nessa terapia, o psicoterapeuta quase não intervém na fala do paciente, deixando-o discorrer sobre o assunto de forma livre. O psicólogo escuta o que o paciente tem a falar, mas também fica atento às entrelinhas.

Psicoterapia Cognitivo-Construtivista

Escolha o tipo de psicoterapia que mais se adequa ao seu perfil - Imagem: Shutterstock
Escolha o tipo de psicoterapia que mais se adequa ao seu perfil – Imagem: Shutterstock

Durante a psicoterapia cognitivo-construtivista, o paciente é incentivado a analisar pensamentos e emoções negativas.

Para o avanço do tratamento, é necessária a construção de uma consciência emocional, que faz com que o indivíduo crie independência psicológica, sendo capaz de lidar com seus sentimentos.

Psicoterapia Cognitivo-Comportamental

A psicoterapia cognitivo-comportamental visa identificar e mudar padrões de pensamento e comportamento que são prejudiciais ao bem estar.

O objetivo é substituir estes comportamentos sabotadores por ideais saudáveis. Normalmente a técnica envolve o aprendizado de novas habilidades sociais.

Psicodrama

O psicodrama precisa do coletivo para acontecer. Um grupo encena emoções e situações na vida dos pacientes, e interagem um com os outros para trabalhar questões pessoais.

A técnica promove a espontaneidade dos sentimentos, produzindo insights transformadores. A comunicação verbal e não-verbal é utilizada nessa modalidade de psicoterapia.

Terapia Interpessoal

A psicoterapia interpessoal é um tratamento a curto prazo. Ela ajuda os pacientes a entender problemas interpessoais que estejam causando malefícios para suas rotinas, como por exemplo, lutos não vivenciados, mudança de papéis sociais ou profissionais, conflitos com pessoas importantes para o vínculo social, e confrontos externos no geral.

A terapia interpessoal é uma boa ferramenta para a criação de formas saudáveis de expressar as emoções e melhorar a comunicação com os outros. Ela é comumente utilizada para tratar a depressão.

Hipnoterapia

A psicoterapia por hipnose é capaz de introduzir ideias construtivas no subconsciente. Se feita de maneira correta, ela pode auxiliar na alteração de padrões de comportamento, pensamento e sentimento.

Psicoterapia por EMDR

A psicoterapia por EMDR é relativamente nova, pois teve seu início no final dos anos 80. O método faz com que ocorra a dessensibilização e o reprocessamento de vivências através da estimulação dos dois hemisférios do cérebro.

Ao contrário de outros tratamentos que focam em alterar as emoções, pensamentos e respostas advindas de experiências traumáticas, a psicoterapia por EMDR foca diretamente na memória.

É aplicada com o objetivo de alterar a forma que as lembranças são armazenadas em nosso cérebro, reduzindo e eliminando sintomas prejudiciais ao bem estar.

Fenomenologia

Segundo a psicóloga Ana Lia Clerot, a psicoterapia por fenomenologia procura compreender a vivência dos pacientes no meio social e também suas percepções do mundo que os cerca.

Psicoterapia Regressiva

A psicoterapia regressiva utiliza a hipnose para acessar memórias do passado que estejam causando mal no presente. Essas lembranças desencadeiam sintomas prejudiciais ao bem-estar e o papel desse procedimento é fazer com que o paciente analise, compreenda e supere acontecimentos não resolvidos do passado.

Psicoterapia Comportamental Dialética

A psicoterapia comportamental dialética ajuda o paciente a regular suas emoções. É frequentemente utilizada para tratar pessoas com pensamentos suicidas e outros distúrbios psicológicos, como os alimentares e o estresse pós-traumático.

Ela cria novas habilidades sociais nos pacientes, para que seja possível mudar comportamentos prejudiciais ou disruptivos.

Psicoterapia Infantil (Ludoterapia)

Psicoterapia voltada para as crianças, levando em consideração que quando elas brincam, expressam seus sentimentos e pensamentos.

Psicoterapia Corporal

Idealizada por Wilhelm Reich, a psicoterapia corporal leva em consideração corpo e mente. Nessa vertente, considera-se que os distúrbios psíquicos e emocionais causam tensões musculares crônicas.

Além da fala como ferramenta para a terapia, especialistas dessa área também trabalham a respiração do paciente, envolvendo processos de toque, massagem, expressão sonora, técnicas posturais e alongamentos em consultório, a fim de atingir o equilíbrio emocional e físico de quem passa por este procedimento.

Psicoterapia Gestaltista

Na psicoterapia Gestaltista, o psicólogo faz com que você tenha responsabilidade por si mesmo, agregando maior relevância para sua vivência individual.

Nessa corrente, existe um menor foco em sintomas e acontecimentos passados, pois leva-se em consideração que o presente é o único período tangível.

Sendo assim, a preocupação pela origem do problema é reduzida, já que o objetivo é compreender como os dias atuais lhe afetam e como você pode alterar a realidade hoje.

Constelações Sistêmicas e Familiares

A constelação familiar é um tipo de psicoterapia que leva em consideração que todo ser humano faz parte de um sistema ou família.

O paciente conta ao psicólogo seus problemas, e então, o profissional irá investigar informações relevantes de sua família, como doenças, mortes, separações, brigas, entre outros.

Saiba mais:
Constelação familiar: o que é, preço e como funciona

Após essa análise, o terapeuta irá notar padrões familiares que se repetem com o passar dos tempos e como o paciente pode estar vivendo com a consciência de seus antepassados, ao invés de agir levando em consideração sua própria essência.

Além dessas correntes psicoterápicas, existem algumas outras que podem ser aplicadas em consultório, como:

Psicoterapia Breve

A psicoterapia breve é um tratamento a curto prazo, com tempo e objetivos definidos. Normalmente, é indicada para quem esteja passando por alguma crise emocional aguda, que necessite de melhora imediata.

Na psicanálise, a postura do especialista costuma ser neutra e passiva. Já na psicoterapia breve, o terapêuta se expressa de maneira ativa, e intervém nas falas do paciente constantemente, visando um tratamento mais intensivo que traga melhorias em um período pré-determinado.

Psicoterapia em grupo

Psicoterapia em grupo permite a troca de experiências - Imagem: Shutterstock
Psicoterapia em grupo permite a troca de experiências – Imagem: Shutterstock

Na psicoterapia em grupo, se formam rodas de conversas, onde as pessoas podem trocar experiências, identificando-se com as questões alheias.

O psicólogo atua como mediador dessa conversa, e os participantes da terapia motivam-se entre si para enfrentar seus problemas.

Psicoterapia em casal

Casais que buscam a psicoterapia conjunta tem o objetivo de resolver conflitos no relacionamento, visando a melhora da qualidade de vida.

As expectativas de cada um acerca da relação são expostas em terapia, para que ambas as partes cheguem a um acordo, sem a ocorrência de frustrações e mágoas.

Psicoterapia online

A psicoterapia online é uma alternativa para quem não pode gastar muito com uma consulta presencial, ou não tem tempo para se deslocar até um consultório. Antes de iniciar o tratamento, procure informações sobre o especialista para confirmar sua veracidade.

Comumente, as sessões online acontecem por chamada de vídeo ou áudio, com duração de aproximadamente uma hora. Realizar a psicoterapia pela internet pode ser tão eficaz quanto em uma clínica. Tudo irá depender da abordagem terapêutica do profissional, e de seu engajamento com o tratamento.

Como escolher um psicoterapeuta

É importante que você se sinta à vontade com seu terapeuta e que vocês estejam em uma boa sintonia.

Psicólogos e pacientes trabalham juntos, portanto, não sinta medo de entrevistar diversos especialistas antes de escolher um. Você pode fazer isso por telefone ou durante sua primeira sessão.

Procure por alguém que faça você se sentir confortável e que transmita confiança. Não se esqueça que você irá discutir questões profundas de sua existência em consultório, portanto, é imprescindível que você esteja fazendo isso com a pessoa certa.

O que você deve perguntar a si mesmo

Antes de iniciar a psicoterapia, é preciso refletir sobre alguns pontos, como por exemplo, quais são seus objetivos com o tratamento, e como você irá bancar os custos. Analise o impacto financeiro que isto lhe causará, além dos dias e horários convenientes para sua rotina.

O que perguntar ao psicólogo

Questione o especialista sobre a experiência que ele tem em casos semelhantes aos seus. Quanto tempo o profissional atua na área, quais são suas especialidades e qual a abordagem psicoterapêutica utilizada por ele também são perguntas viáveis.

Se você tem questões específicas que podem fazer você não querer realizar a psicoterapia, compartilhar elas com o psicólogo pode ser útil.

Duração do tratamento

A duração da psicoterapia irá depender de diversos fatores: O tipo de problema ou distúrbio emocional, as características e o histórico do paciente, as metas do tratamento e a velocidade em que a pessoa faz progresso na terapia.

Algumas pessoas sentem-se aliviadas após uma única sessão de psicoterapia. Ter contato com um psicólogo pode lhe oferecer novas perspectivas de vida, ajudando você a ver as situações de maneira diferente, além de oferecer alívio para dores emocionais.

A maioria das pessoas pode ser beneficiada após algumas sessões, especialmente se não passou muito tempo lidando com a questão sozinha.

E mesmo que o seu conflito emocional não vá embora após breves sessões, é possível que você se sinta confiante por ter feito algum progresso ao aprender novas formas de lidar com suas dificuldades.

Pessoas que sofreram traumas, têm diversos conflitos internos ou que não sabem exatamente a causa de sua infelicidade, podem passar mais tempo realizando o tratamento. É importante não desanimar-se, pois resultados duradouros vêm com tempo.

Como saber a hora de parar a terapia?

Paciente e terapeuta decidem juntos a hora de finalizar os trabalhos psicoterapêuticos. Pode ser que um dia você vá dormir e perceba que acordou sem se preocupar com o problema que o levava ao consultório.

Ou então, com o passar do tempo, é possível que você perceba que está lidando com os seus conflitos de maneira saudável, sem sofrimento extremo.

O que acontece após o fim da psicoterapia?

Em muitos casos, o psicólogo pode solicitar que você retorne ao consultório algumas semanas ou meses após o término do tratamento, para checar se o que foi aprendido na psicoterapia está sendo colocado em prática.

Porém, não pense que a psicoterapia tem início, meio e fim definidos. Você pode resolver um problema e, algum tempo depois, ser confrontado com um novo.

Algumas das habilidades que você aprendeu durante o tratamento podem não se adaptar a novas situações conflituosas e não há problemas nisso.

Não se sinta fraco por procurar ajuda novamente. Seu psicoterapeuta estará pronto para lhe atender novamente, já sabendo seu histórico, o que pode ser útil em sessões futuras.

E não é necessário estar enfrentando alguma crise para realizar a psicoterapia. Você pode realizar um tratamento apenas para aumentar o seu bem-estar. Pense na psicoterapia como uma grande aliada, que está disponível para tornar sua vida melhor.

Referências:

Psychiatry.org

Apa.org

Ordem Nacional dos Psicanalistas

Categorías
Todo sobre el embarazo

Banana: 10 receitas saudáveis, deliciosas e com poucas calorias

1. Chips de banana light

Chips de banana light
Chips de banana light

Com poucos ingredientes e fácil de fazer, esse petisco é uma excelente opção para quem está de dieta e não resiste a uma sobremesa. Veja como preparar!

2. Bolo de banana diet

Bolo de banana diet - Reprodução/Thinkstock
Bolo de banana diet – Reprodução/Thinkstock

Essa receita rende 8 porções e é uma ótimo acompanhamento para o café da tarde. Além de deliciosa, o bolo não leva açúcar e tem apenas 67,9 calorias por porção. Confira aqui o passo a passo.

Saiba mais:
10 receitas com batata: saborosas e com poucas calorias

3. Brigadeiro de banana light

Brigadeiro de banana light
Brigadeiro de banana light

É tão gostoso que você nem vai acreditar que é saudável! Confira o modo de preparo.

4. Mingau de aveia, banana e canela

Mingau de aveia, banana e canela - foto: getty images
Mingau de aveia, banana e canela – foto: getty images

Rico em fibras, esse prato é perfeito para um delicioso café da manhã! Além disso, essa receita potente garante saciedade e acelera o metabolismo. Veja como fazer!

5. Cookie de banana light

Cookie de banana light
Cookie de banana light

Esse docinho você pode comer sem peso na consciência! Aprenda a fazer esta receita prática e saborosa.

6. Sorvete de banana com canela

Sorvete de banana com canela - foto: getty images
Sorvete de banana com canela – foto: getty images

Essa é uma excelente receita para comer antes ou depois do treino, já que o sorvete ajuda a acelerar o metabolismo e refrescar. A receita é da nutricionista de Bruna Marquezine e Giovanna Lancellotti, para comer sem culpa! Aprenda.

7. Tortinha de banana light

Tortinha de banana light
Tortinha de banana light

Uma tortinha fácil, saudável e deliciosa! Receita leva biscoito de aveia e é uma ótima alternativa para lanches. Confira o modo de preparo!

8. Panqueca de banana

Panqueca de banana - foto: getty images
Panqueca de banana – foto: getty images

Quer uma receita doce, light e prática? Confira essa receita deliciosa de panqueca de banana!

9. Bolo de banana e cacau no micro-ondas

Bolo de banana e cacau no micro-ondas
Bolo de banana e cacau no micro-ondas

Feito no micro-ondas, esta receita de sobremesa é prática e com poucas calorias. Perfeita para quando dá aquela fome rápida de um docinho! Veja como preparar.

10. Brownie light com banana

Brownie light com banana
Brownie light com banana

Esse doce é uma ótima opção para quem está de dieta e quer matar a vontade de chocolate. Aprenda a fazer esse delicioso brownie light com banana!

Categorías
Todo sobre el embarazo

Visita ao ortodontista: saiba a idade ideal para consultá-lo

A Ortodontia é a especialidade da Odontologia que corrige o mau posicionamento dos dentes. O tratamento ortodôntico, além de corrigir dentes tortos, pode melhorar a saúde dental e outras funções inerentes ao sistema mastigatório como a mastigação, fala e deglutição com um menor risco de desenvolvimento de doenças como desordens da articulação temporomandibular (ruídos e limitações de abertura e dores de cabeça e na face de origem muscular), que também podem se manisfestar em crianças e adolescentes. Outra grande vantagem é que também pode ajudar a melhorar a aparência facial do paciente, aumentado sua autoestima.

Muitos pais sabem da importância de levar seus filhos ao médico pediatra e também a um(a) odontopediatra desde bebês. Entretanto, não sabem ao certo o melhor momento para visita ao odontólogo especialista em ortodontia, o ortodontista. Tal fato é muito frequentemente visto no consultório.

É recomendável a primeira avaliação ortodôntica na faixa dos 6 anos de idade, onde começam a nascer os primeiros dentes permanentes

Existem pais extremamente preocupados com os filhos e que os trazem para uma consulta de avaliação ortodôntica aos 3 anos de idade, outros quando todos os dentes de leite caíram e até aqueles que não têm esta preocupação e nunca os levaram para referida análise pelo profissional.

É muito rotineiro aparecer pacientes com 60-70 anos para primeira avaliação ortodôntica, indicados pelos colegas de outras especialidades como prótese, implante e periodontia. Entretanto, felizmente, a atual geração de crianças e adolescentes com certeza será avaliada ainda durante a infância e adolescência, devido a um grande número de fontes geradoras de informações, como, por exemplo, a internet, a melhora do padrão de vida da população e o aumento significativo da quantidade e qualidade dos dentistas.

Afinal, qual seria a idade ideal para a primeira visita ao ortodontista? Não existe uma idade ideal para início de um tratamento ortodôntico e sim o momento mais oportuno. É recomendável a primeira avaliação ortodôntica na faixa dos 6 anos de idade, onde começam a nascer os primeiros dentes permanentes. Existem casos onde há a presença de grandes discrepâncias ósseas, onde o especialista em odontopediatria irá indicar uma avaliação antes dessa idade.

Os principais problemas encontrados nesta faixa etária são: falta de espaço para correta acomodação de dentes permanentes; dentes encavalados; dentes fora de posição; mordidas cruzadas; mordida profunda; mordida aberta; perda precoce ou retenção prolongada dos dentes de leite; respiração bucal; hábitos de sucção (dedo ou chupeta); diastemas (espaços entre os dentes); dificuldade na mastigação; articulações que emitem ruídos e falta de proporção entre os maxilares (queixo grande, mandíbula para trás, etc).

Para crianças que necessitam de intervenção ortodôntica nesta idade, pode-se citar alguns benefícios como: diminuir as chances de ocorrer a impacção de dentes permanentes (dentes que não conseguiram nascer); evitar desenvolvimento de maloclusões como mordida cruzada, aberta e/ou profunda; guiar o crescimento do complexo maxilo-mandibular com a ajuda de aparelhos ortopédicos funcionais; guiar o nascimento dos dentes permanentes para a posição correta; corrigir hábitos bucais danosos (como chupar dedo e chupeta); reduzir ou eliminar problemas de deglutição anormal e de fala; diminuir o risco de traumas dentário nos dentes incisivos superiores (pela melhora da inclinação dos mesmos); manter ou recuperar espaço para o nascimento dos dentes permanentes; melhorar a aparência e a autoestima; simplificar e/ou diminuir o tempo de tratamento do tratamento ortodôntico corretivo posterior; além de ser uma idade onde encontra-se muita colaboração dos pacientes em relação ao uso de aparelhos removíveis.

Sabendo de todos estes benefícios relatados sobre a intervenção ortodôntica na hora certa, o que está esperando para fazer uma avaliação de seu filho com um especialista? Procure seu Ortodontista!

Saiba mais:
Cuide do sorriso do bebê, desde a fase só com gengivas
Categorías
Todo sobre el embarazo

Bicarbonato de sódio: principais usos e benefícios

O bicarbonato de sódio é uma substância alcalina (de pH alto) que normalmente é indicada para neutralizar substâncias ácidas.

Na química, as substâncias têm sua acidez medida pelo pH. Os ácidos costumam ter pH mais baixo (entre 1 e 5) enquanto as bases (ou substâncias alcalinas) têm um pH mais alto (entre 9 e 14). As substâncias no meio são chamadas de neutras.

Quando um meio é muito ácido, costuma-se usar substâncias alcalinas para reduzir isso, e o contrário também funciona.

Quando um meio é muito ácido, costuma-se usar substâncias alcalinas para reduzir isso, e o contrário também funciona.

Saiba mais:
Bicarbonato de sódio pode ser um tratamento para candidíase?

Benefícios comprovados do bicarbonato de sódio

Redução da acidez bucal: Pessoas que sofrem com refluxo ou crianças com estomatite podem se beneficiar do bochecho com bicarbonato de sódio. Eles reduz a acidez que fica na boca com a volta do suco gástrico, fator que pode prejudicar os dentes e a flora bucal.

Combate à acidez estomacal: Pessoas com problemas de digestão relacionados ao estômago podem usar o bicarbonato de sódio como antiácido, neutralizando o ácido clorídrico.

Melhora da saúde bucal: Por reduzir a acidez na boca, o consumo de bicarbonato de sódio pode reduzir a sensibilidade dos dentes e até causar um leve clareamento, mas apenas quando esses problemas são causados por um pH muito ácido na boca. O mesmo vale para a atuação do bicarbonato de sódio contra a halitose.

Pedras nos rins: O bicarbonato de sódio pode ajudar indiretamente quem tem pedras nos rins formadas por oxalato de cálcio.

Isso ocorre porque esse acúmulo de cálcio nos rins é decorrente no processo de alcalinização do corpo: quando o sangue está muito ácido, o corpo libera carbonato de cálcio, retirando o mineral dos ossos. Depois de usado, esse cálcio é secretado na urina, e pode se juntar com o oxalato, formando pedras nos rins. Mas isso num processo em longo prazo.

A alcalinização promovida pelo bicarbonato de sódio poderia reduzir a formação de carbonato de cálcio e sua excreção pelos rins, reduzindo esse tipo de pedra.

Bicarbonato de sódio e o emagrecimento

Não há evidências científicas de que o consumo do bicarbonato, mesmo que associado a ingredientes como o vinagre de maçã ou o limão, possa ajudar a emagrecer.

O nutrólogo Roberto Navarro explica que essa confusão é comum devido aos conceitos da dieta alcalina.

Essa dieta é baseada no conceito de que alcalinizar o corpo pode levar ao emagrecimento. No entanto, de acordo com o especialista, os alimentos mais alcalinizantes costumam ter menos calorias, já que consistem nos vegetais e frutas, enquanto nutrientes como a gordura, proteína animal e açúcares costumam deixar o sangue mais ácido.

E isso não quer dizer que as pessoas que consomem alimentos alcalinos têm o pH do corpo menos ácido. «Na verdade, o organismo trabalha 24h para que o sangue fique neutro através de reações bioquímicas», frisa Navarro. Portanto, não há relação alguma entre o emagrecimento e o pH do sangue e sim ao fato de que alimentos alcalinos são menos calóricos.

Saiba mais:
6 usos do bicarbonato de sódio para o cabelo e para a pele

Bicarbonato de sódio e câncer

Existe uma crença de que as propriedades alcalinizantes do bicarbonato de sódio poderiam reduzir os riscos de se ter câncer. Mas Navarro explica que esse também é um pensamento enganoso.

«Hoje, sabemos que as células cancerígenas tem um pH mais ácido, enquanto as células comuns são neutras como o sangue», considera o nutrólogo.

No entanto, não existem estudos que mostrem que a alcalinização das células poderia prevenir o câncer ou reverter as mutações delas em cancerígenas.

Bicarbonato de sódio e acidose metabólica

A acidose metabólica é um estado grave em que o pH do sangue diminui, causando respiração mais profunda e rápida, além de uma sobrecarga dos rins. Normalmente ela ocorre quando há ingestão excessiva de ácidos ou por um desequilíbrio do metabolismo.

Muitas pessoas acreditam que o consumo de bicarbonato de sódio poderia reduzir essa acidose. Porém, o nutrólogo Roberto Navarro lembra que o corpo normalmente regula a acidez menor e que a acidose costuma ocorrer quando há problemas mais sérios no organismo.

5 formas de usar o bicarbonato de sódio na limpeza da casa

  • 1. Eliminar o mau cheiro na geladeira: Sabe aquele cheirinho ruim que vai surgindo na geladeira com o passar do tempo? Com o bicarbonato de sódio é possível eliminá-lo facilmente. Basta colocar meia xícara de chá do produto em um recipiente aberto dentro da geladeira. Deixe o potinho em um espaço que não possa cair e lembre-se de trocar o conteúdo a cada três meses
  • 2. Limpeza a seco: O bicarbonato é ideal também para aqueles itens que você quer que fiquem limpos, sem precisar de uma lavagem completa, ou que não podem ser lavados. Aqui entram tapetes, carpetes, colchões, estofados, almofadas e cortinas. A dica é polvilhar o produto sobre o que você irá limpar, esfregar um pouco e depois aspirar
  • 3. Alvejante e amaciante: Entre os poderes do bicarbonato, está o de realçar o branco dos tecidos, potencializando a eficiência do sabão em pó. Ele ainda consegue avivar a cor das roupas coloridas, limpar e remover odores dos tecidos, remover manchas, e higieniza a máquina de lavar. Para isso, acrescente meia xícara de chá de bicarbonato no ciclo de lavagem de suas roupas junto com o sabão
  • Veja outras duas formas de usar o bicarbonato de sódio na limpeza da casa

6 usos do bicarbonato de sódio para o cabelo e para a pele

  • 1. Esfoliante para a pele
  • 2. Hidratante potente
  • 3. Desodorante natural
  • 4. Shampoo antioleosidade
  • 5. Shampoo antirresíduos
  • 6. Shampoo seco
    Veja a receita para cada uso do bicarbonato de sódio para cabelo e pele

Quantidade recomendada de bicarbonato de sódio

O ideal é não exceder o consumo de 30 gramas de bicarbonato de sódio ao dia, ou seja, duas colheres de sobremesa do produto.

Cuidados ao consumir

Quando consumido em excesso, o bicarbonato de sódio pode causar efeitos colaterais como enjoo, náusea e até vômito.

Saiba mais:
Contraindicações e riscos de Bicarbonato de sódio
Categorías
Todo sobre el embarazo

Luz Intensa Pulsada: tratamento para o fotoenvelhecimento

O que é a Luz Pulsada?

Luz intensa pulsada é tratamento para envelhecimento, flacidez e manchas na pele

A Luz Intensa Pulsada (LIP) é gerada por um aparelho específico que produz calor na pele e atinge diferentes alvos: a melanina – que, em excesso, causa sardas e manchas -, os vasos sanguíneos – no caso, os microvasos da face e colo principalmente – e o colágeno – para tratamento flacidez e rugas.

Com que aparelho é aplicada a Luz Pulsada

«O tratamento com Luz Intensa Pulsada (LIP) é feito com um aparelho que possui uma lâmpada flash de alta energia, ou seja, emite luz», explica o dermatologista Luiz Torrezan, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica.

Saiba mais:
Manchas na pele: quais cores são preocupantes?

Indicações do tratamento com Luz Intensa Pulsada

Luz Intensa Pulsada - foto: Getty Images
Luz Intensa Pulsada – foto: Getty Images

A Luz Pulsada possibilita o tratamento de várias lesões causadas pelo fotoenvelhecimento, em diversas áreas do corpo como face, dorso das mãos, colo e pescoço. Trata rugas finas, vasos faciais, rosácea, manchas solares, dano solar crônico, alteração de textura da pele, olheiras, poiquilodermia (manchas, vasos e envelhecimento do colo e pescoço), depilação e pode ser utilizada até mesmo para remoção de tatuagens.

O que permite que a LIP trate diferentes problemas é sua amplitude de comprimento de ondas, que atingem diferentes profundidades da pele.

O tratamento com Luz Intensa Pulsada está indicado para pessoas com fototipos I (cútis branca muito sensível), II (cútis branca pouco sensível) e II (cútis morena clara). Tonalidades mais escuras têm maiores chances de complicações, pois a melanina, em maiores quantidades, pode absorver o feixe luminoso.

Luz Intensa Pulsada X Laser

A Luz Intensa Pulsada, assim como o Laser, é uma fonte de energia luminosa não ablativa. Ou seja, ambos geram calor na pele sem provocar qualquer alteração da continuidade da pele – um corte. «Mas diferentemente do Laser, a LIP apresenta diversos comprimentos de onda, isto é, todo ou parte do espectro luminoso», explica a dermatologista Renata Valente, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia. Com isso, o Laser é mais específico – age exatamente no ponto desejado (na melanina, por exemplo) e a Luz Intensa Pulsada é inespecífica, pois aborda diferentes alterações numa mesma aplicação.

O procedimento com Luz Intensa Pulsada

O tratamento pode gerar dor e desconforto, no entanto, são suportáveis. Caso a sensibilidade do paciente seja grande, é possível usar medicação anestésica tópica.

Quem pode aplicar o tratamento com Luz Intensa Pulsada

Apenas o médico especialista pode realizar o procedimento.

Número de sessões de Luz Pulsada

Geralmente, para se obter o máximo de eficácia no tratamento de manchas, sardas e vasos sanguíneos aparentes se recomendam quatro sessões em média, mas é comum observarmos os resultados desde a primeira aplicação. Para o tratamento de rugas e flacidez, é preciso estimular o colágeno, o que demanda mais tempo. Consequentemente os resultados aparecem com mais tempo e podem ser necessária até seis sessões de Luz Intensa Pulsada. O intervalo entre as sessões pode variar, mas a espera de 21 a 30 dias costuma ser suficiente.

Para manter os resultados do tratamento com Luz Pulsada

Qualquer tratamento dermatológico precisa de fotoproteção para que os resultados sejam mantidos. Está indicado o uso de protetor solar com fator de proteção mínimo de 30, com reaplicação a cada três horas, além de evitar a exposição solar no período das 10 as 15 horas.

Contraindicações ao tratamento com Luz Pulsada

Gestantes, pessoas com vitiligo ou infecções ativas no local a ser tratado devem evitar o tratamento pois podem ocorrer hipo ou hipercromia, isto é, alterações da coloração da pele. Pessoas em uso de medicações que aumentem a fotossensibilidade, como alguns antibióticos e antiacneicos, também devem evitar o tratamento com Luz Intensa Pulsada.

Saiba mais:
Entenda as diferenças entre depilação a laser e fotodepilação

Complicações do tratamento com Luz Pulsada

«Pode haver irritação, dor, inchaço, formação de feridas e vermelhidão», explica Luiz Torrezan. «Em geral estas lesões são brandas e se resolvem de cinco a sete dias após o tratamento». Também podem ocorrer hipo ou hipercromia – ou seja, a diminuição ou aumento da pigmentação da pele. Bolhas são raras e podem significar queimadura, necessitando de tratamento médico especifico. Complicações a longo prazo, como as cicatrizes, são raras e ocorrer em consequência de uma técnica de aplicação falha.

A técnica falha acontece quando não é feito o ajuste adequado da amplitude de onda da Luz Intensa Pulsada.

Cuidados antes do tratamento com Luz Pulsada

Não se bronzeie antes do tratamento com Luz Intensa Pulsada. Peles bronzeadas têm maiores chances de sofrer complicações, como hipo ou hipercromia.

Cuidados depois do tratamento com Luz Pulsada

Após o tratamento com Luz Intensa deve ser feito o uso de protetor solar de acordo com a recomendação médica. Pode haver a necessidade de usar medicação corticoide caso haja inflamações.

Fontes

Dermatologista Luis Torezan (CRM: 72624), membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica

Dermatologista Renata Valente (CRM: 80009), membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia

Categorías
Todo sobre el embarazo

Mesoterapia: a técnica trata estrias brancas e gordura localizada

O que é mesoterapia

A mesoterapia consiste na aplicação de substâncias medicamentosas na pele, abaixo dela ou nos músculos, com finalidades específicas. Normalmente ela é aplicada para tratamento de estrias brancas, gordura localizada e até mesmo queda de cabelo. Podem ser aplicados diversos compostos, que são mesclados conforme a queixa do paciente.

A mesoterapia foi criada na França e seu principal objetivo é ter mais resultados por aplicar o medicamento no local que se quer tratar, o que também reduz efeitos colaterais.

Uma das primeiras substâncias usadas foi a fosfatidilcolina, na década de 1990. Seu uso virou moda, mas logo foi proibida no Brasil para fins estéticos, pois não existem estudos clínicos que comprovem sua segurança. Hoje, são utilizadas substâncias como hialuronidase, tiratricol, xantina e derivados da alcachofra, do girassol e cafeína. A maioria deles é sintética.

Outros nomes

Intradermoterapia

Indicações da mesoterapia

A mesoterapia pode ser usada no rosto e no corpo, e por isso acaba tendo diversas finalidades. Confira as principais:

Estrias brancas As estrias antigas, principalmente as mais finas, podem apresentar melhora com aplicação de misturas com ácido hialurônico, buflomedil e asiaticosídeo.

Gordura localizada O acúmulo de tecido adiposo com pequeno volume no abdômen, nas laterais do corpo e nas coxas pode ser tratado com misturas de desoxicolato, cafeína e tiratricol aplicadas no local, por exemplo.

Celulite A substância L-carnitina que atua sobre as toxinas que formam a celulite e o silício orgânico que reduz a acumulação de toxinas

Tratamentos capilares Queda de cabelo com várias causas (calvície, deficiência de vitaminas, alterações hormonais) podem ser tratadas com a infiltração de misturas ou produtos específicos, mas apenas após um preciso diagnóstico clínico dos motivos desta alteração.

Saiba mais:
Conheça os alimentos certos para reduzir celulite, estrias e gordura localizada

Como é feita a mesoterapia

A mesoterapia consiste na aplicação local de substâncias, seja na pele, abaixo dela ou nos músculos. A aplicação é feita com agulhas com até de 1 a 2 milímetros de diâmetro e que atingem uma profundidade que pode variar entre 3 a 8 mm. Quanto mais profunda a aplicação, mais o produto se espalhará em uma área maior.

Quando ela é feita nos músculos, normalmente são aplicadas substâncias anti-inflamatórias, relaxantes ou anestésicas. Normalmente ela funciona melhor em áreas menores, já que há um limite do volume de substância que é aplicado.

Já a mesoterapia para gordura localizada, especificamente, aplica a substância nas células de gordura, tornando a gordura mais fluida. A gordura fluidificada acaba sendo reabsorvida pelo fígado e será, posteriormente, metabolizada e eliminada pelo organismo, pelas fezes, urina ou até mesmo usada como energia.

Além do conjunto agulha e seringa, podem-se utilizar instrumentos considerados mais sofisticados e mais caros: as pistolas de mesoterapia. Elas injetam eletronicamente a substância em múltiplos pontos que permitem mensurar o volume e a profundidade da aplicação. A desvantagem desse sistema é a dificuldade da esterilização de todo o conjunto, já que só a agulha é descartável.

Sessões

São indicadas, em média, de 5 a 10 sessões e os resultados variam de acordo com cada caso e objetivo. Cada sessão dura em média 30 minutos e elas pode ser feitas semanalmente. Os resultados normalmente acabam aparecendo na terceira sessão, mas tudo depende da indicação clínica e do tipo de problema tratado.

Profissionais que podem fazer

Esse procedimento é muito complexo, pois envolve um conhecimento técnico da anatomia humana, além do manejo de possíveis complicações. Por isso, o ideal é que ele seja feita por dermatologistas, cirurgiões plásticos e fisioterapeutas especializados.

Cuidados antes da mesoterapia

No dia é importante que a pele esteja limpa, sem cremes ou outros produtos na pele. Qualquer fator que deixe o sangue mais fluido é contraindicado nos dias anteriores ao tratamento, como ácido acetilsalicílico.

Cuidados após a mesoterapia

É preciso tomar cuidado com os locais em que as substâncias foram aplicadas, preferindo tecidos de algodão, evitando jeans e também sentar-se em superfícies diretamente com a pele. Indica-se usar compressas geladas no corpo, para reduzir a dor e o desconforto, além de diminuir a formação de hematoma. Caso eles se formem, é muito importante ter uma proteção solar adequada, para evitar manchas. É importante também evitar outras técnicas estéticas que manipulem a região onde foi feita a mesoterapia.

No tratamento para estrias, é indicado o uso de bermudas compressivas por de sete a dez dias após as sessões.

Contraindicações

A mesoterapia está contraindicada para pessoas com doenças autoimunes (como o lúpus, por exemplo) ou que apresentem alguma doença de pele no local onde será realizada a injeção do produto. Pessoas alérgicas as substâncias aplicadas também são contraindicadas.

Grávida pode fazer?

Durante a gravidez ou amamentação mesoterapia, pois as substâncias podem fazer mal ao feto ou chegar até o leite materno.

Possíveis complicações da mesoterapia

Uma das complicações que podem ocorrer na mesoterapia é a infecção por microbactérias, que podem ocorrer por uma assepsia não adequada do material ou pela contaminação das substâncias aplicadas. Normalmente ela exige o tratamento com diferentes medicamentos e pode resultar em cicatrizes não estéticas.

Também podem aparecer outros problemas como erupções na pele, necroses, urticária e até mesmo atrofia, normalmente causados por má execução do procedimento ou pelo tipo de substância aplicada, caso ela não seja indicada ou mesmo seja aplicada de forma errada. Mas esses riscos são raros quando a técnica é feita com um profissional qualificado.

Saiba mais:
Lipoaspiração acaba com gordura localizada, mas exige disciplina

No geral, o mais comum e esperado é que a aplicação das substâncias cause hematomas, vermelhidão, inchaço, coceira e dor.

Resultados

Os resultados da mesoterapia dependem muito do objetivo que se quer alcançar. Normalmente eles acabam aparecendo apenas depois da terceira sessão. No geral, não há muitos estudos que comprovem totalmente a eficácia desse tratamento.

Alie a mesoterapia com…

Alimentação balanceada O que você come muitas vezes é o que causa o aparecimento de celulites e gordura localizada. Por isso mesmo, o ideal é reduzir a quantidade de gorduras, frituras, açúcar e carboidratos ingeridos e consumir mais frutas, verduras e legumes, para ter um maior aporte de nutrientes variados e fibras, que trazem saciedade. Hidratar-se mais também é importante nesses dois tratamentos.

Atividade física Fazer exercícios é uma das melhores formas de evitar o acúmulo de gordura localizada e aumenta o metabolismo e circulação sanguínea, colaborando para a celulite. Implementar essas mudanças ajuda na manutenção dos resultados e evita futuras recaídas.

Tratamentos a laser O método pode ajudar quando o objetivo é eliminar as estrias. No caso são os lasers fracionados que trazem melhor resultado para retirada dessas marcas, mesmo que elas sejam antigas.

Fontes

Dermatologista Carolina Marçon (CRM-SP: 113.379), membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD)

Esteticista Katia Pacheco Barbosa, diretora do Salão Menta Pimenta

Categorías
Todo sobre el embarazo

Dieta anti-inflamatória combate doenças e melhora a imunidade: como fazer

Dieta anti-inflamatória - Foto: Shutterstock
Dieta anti-inflamatória – Foto: Shutterstock

A dieta anti-inflamatória é uma forma de combater a inflamação causada pela ingestão de alimentos ricos em toxinas e substâncias pró-inflamatórias. No caso de exposição exagerada e constante a esses compostos, podemos desencadear um processo inflamatório e, se não tratado, o caso pode se tornar crônico e, a longo prazo, predispor a diversas doenças crônicas não transmissíveis como diabetes, alteração de colesterol e triglicerídeos, obesidade, artrite, entre outras.

Normalmente nosso corpo reagirá desencadeando a sinalização de marcadores inflamatórios quando consumidos produtos industrializados cheios de aditivos ou proteínas que não temos capacidade de digerir. Esses componentes não são reconhecidos como alimentos por nosso corpo e então, em resposta, nosso corpo tenta se defender gerando resposta inflamatória.

Então, para combater a ação dessas toxinas, nosso corpo dispara um alerta aos glóbulos brancos do sangue (leucócitos) para que eles defendam o organismo desses agentes, buscando reparar eventuais perdas e danos.

A ação dessas toxinas e o esforço que o corpo faz para eliminá-las deixa muitas marcas – cansaço, dor de cabeça, vermelhidão e dores musculares são alguns dos sintomas. Tudo isso são sinais de que determinado alimento está fazendo mal a saúde. (1, 2, 4)

O que é a dieta anti-inflamatória

A dieta anti-inflamatória é uma alternativa para quem quer combater a inflamação do organismo de forma natural. Ela consiste em consumir alimentos com propriedades anti-inflamatórias, a fim de restabelecer o equilíbrio e as defesas naturais do corpo sem o uso de medicamentos.

Essa dieta atua ainda na prevenção de algumas doenças como:

  • Câncer
  • Diabetes
  • Dislipidemias
  • Problemas cardíacos
  • Artrite reumatoide
Saiba mais:
Óleo de copaíba: para que serve e efeitos colaterais

Além disso, a dieta anti-inflamatória promove o bem-estar geral do organismo.

Os alimentos adotados nessa dieta possuem substâncias capazes de aumentar a liberação de hormônios que inibem ou até mesmo bloqueiam a ação dos agentes inflamatórios. Essa desintoxicação do organismo melhora o funcionamento do corpo, aliviando e prevenindo os sintomas de inflamação. (1, 2)

Benefícios da dieta anti-inflamatória

A alimentação anti-inflamatória alivia e previne:

  • Cansaço excessivo
  • Dores de cabeça
  • Inchaços
  • Vermelhidão
  • Lesões em vasos sanguíneos
  • Dores nas articulações e músculos

Além disso, aumenta a imunidade, evitando gripes e resfriados, e ajuda no controle do peso.

Também colabora para a redução do colesterol LDL (colesterol ruim) e o aumento do colesterol HDL (colesterol bom), melhora os níveis de glicose sérica, reduz o risco de doenças cardiovasculares, obesidade, diabetes, depressão, câncer entre outras doenças. (1, 2)

Saiba mais:
Bálsamo: o que é, benefícios e como consumir

Alimentos que causam inflamação no corpo

Os alimentos que causam inflamação do corpo e que devem ser evitados ou consumidos com moderação, são:

  • Produtos industrializados: devido às substâncias químicas, corantes, conservantes, aromatizantes e flavorizantes contidos em sua fabricação
  • Alimentos ricos em ômega-6: como os óleos vegetais de soja, de algodão, de milho, canola e de girassol
  • Cereais refinados: pães, massas, arroz branco, biscoitos em geral, trigo, maisena, fubá
  • Carnes: suínas e bovinas com muita gordura
  • Embutidos: salsicha, linguiça, bacon, salame, mortadela e conservas com sal
  • Leites e derivados integrais: queijos amarelos, requeijão, creme de leite e manteiga em excesso
  • Refrigerantes, bebidas alcoólicas, açúcares, doces e frituras (1)

Melhores alimentos para a dieta anti-inflamatória

  • Peixes: salmão, atum, arenque, sardinha, cavalinha
  • Oleaginosas: castanhas, nozes, amêndoas, chia, linhaça, feijão, ervilha
  • Sementes e grãos integrais: linhaça, gergelim, gérmen de trigo, quinua, amaranto
    Frutas ricas em vitamina C: laranja, kiwi, acerola, limão, goiaba, tangerina, maracujá, caju, melão, mexerica, mamão, morango, acerola
  • Óleos: azeite de oliva extra virgem
  • Frutas: limão, kiwi, morango, uva, maçã, mamão e laranja
  • Legumes e vegetais: gengibre, couve-flor, nabo, rabanete, repolho, cenoura, abóbora, espinafre, rúcula, brócolis, agrião, escarola e couve
  • Chás de ervas: chá-verde, chá de alecrim, chá de gengibre, chá de erva doce
  • Ácidos graxos monoinsaturados (ômega 9): azeitona, abacate, castanhas, nozes
  • Gengibre: rico em vitaminas C, B6 (piridoxina) e com ação bactericida, auxilia no fortalecimento do sistema imunológico
  • Inhame: aumenta as defesas do organismo, tem ação anti-inflamatória, rico em vitamina C, complexo B, ferro, magnésio, betacaroteno tem ação antioxidante ajudando a eliminar toxinas do corpo como micro-organismos e inflamações
  • Alho e cebola: ambos possuem grande quantidade de antioxidantes (quercetina e rutina) e anti-inflamatórios (1, 2)

Formas de reduzir a inflamação do corpo

A melhor forma de reduzir a inflamação do corpo é diminuir a ingestão dos alimentos pró-inflamatórios e aumentar a ingestão dos alimentos anti-inflamatórios. Além disso, o consumo equilibrado de alimentos com ômega 6 (pró-inflamatório) e ômega 3 (anti-inflamatório) auxilia no controle da inflamação.

Consumo de ômega 3 e ômega 6 - Foto: Minha Vida
Consumo de ômega 3 e ômega 6 – Foto: Minha Vida

O balanço adequado de consumo é: para cada 1g de gordura do grupo de ômega 6, deveríamos ingerir 1g de gordura de ômega 3. Porém, estudos mostram que a população ocidental tem consumido muito mais. A proporção de consumo nesse grupo tem sido de 16g de ômega 6 para cada 1g de ômega 3. (3)

Dieta anti-inflamatória ajuda a emagrecer?

Quando ocorre o desequilíbrio na alimentação e há o consumo excessivo de alimentos pró-inflamatórios, o corpo não consegue converter as calorias ingeridas em energia de maneira eficaz. Dessa maneira, o consumo de alimentos anti-inflamatórios ajudam na melhora da capacidade de funcionamento ideal do organismo, diminuindo o armazenamento de gordura e auxiliando na perda de peso.

Porém, a dieta anti-inflamatória não é aconselhada para o objetivo da perda de peso em si e, sim, para melhorar os hábitos alimentares e reeducar o estilo de vida. De qualquer forma, em alguns casos, o plano alimentar prescrito por um nutricionista para reduzir a inflamação do corpo poderá apresentar resultados de perda de peso. (1, 2)

Atividade física reduz a inflamação do corpo?

Não praticar atividade física pode aumentar a presença de substâncias que causam inflamação no corpo e ainda diminuir as defesas antioxidantes (que auxiliam na desinflamação do corpo). Consequentemente, o sedentarismo acaba piorando a inflamação.

Apesar da atividade física não ser a cura para doenças, ela pode fortalecer o sistema imunológico, oferecendo uma resposta mais rápida e eficaz contra qualquer quadro de infecção no organismo. Isso porque o mecanismo de defesa do corpo está associado a um efeito da atividade física de gerar o aumento dos linfócitos, células do grupo dos glóbulos brancos que tem como função destruir células tumorais ou infectadas por vírus.

Além disso, a atividade física promove a diminuição do estresse, com isso o organismo se fortalece e fica menos suscetível a diversas doenças. (1, 2)

Saiba mais:
6 alimentos que são anti-inflamatórios naturais

Lactose e glúten são inflamatórios?

A lactose e o glúten apresentam potenciais alergênicos e são considerados responsáveis pelos processos inflamatórios, porém a exclusão deve ser avaliada individualmente e a retirada total deve ser indicada apenas para as pessoas que apresentam sensibilidade a eles, caso contrário o consumo moderado e equilibrado é indicado.

Riscos e contraindicações da dieta anti-inflamatória

É importante que a dieta seja pensada individualmente para, assim, trazer benefícios e evitar prejuízos à saúde. Por isso, o acompanhamento com um nutricionista é fundamental.

De toda forma, não há contraindicações para essa dieta, pois ela é composta apenas por alimentos que são anti-inflamatórios naturais. Salvo em casos raros de alergia, esses alimentos não têm nenhuma contraindicação.

Referências

Marisa Coutinho, nutricionista da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo (1)

Breno da Silva Lozi, nutricionista pós-graduado em Nutrição Clínica e Desportiva pelo Instituto Educacional São Pedro (IESPe) – Juiz de Fora/MG (2)

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4808858/ (3)

Maria Flávia Sgavioli nutricionista da Estima Nutrição e graduada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Especializada em Nutrição Clínica Funcional pela VP Consultoria Nutricional e pós-graduada em Fitoterapia Clínica CIN Nutri (4)

Categorías
Todo sobre el embarazo

Rotina de skincare: os cuidados essenciais de manhã e à noite

A pele é o que te faz entrar em contato com o mundo. E com tanta poluição e agressão externa, temos que cuidar dela com carinho. Por isso, o skincare está em alta, justamente como um ato de amor a si mesmo.

O que é skincare

Essa palavra em inglês significa nada além de cuidados com a pele. O skincare está sendo usado como mais uma forma de autocuidado, que vai além das preocupações puramente estéticas.

Sim, o dia a dia é uma correria. Por isso, é importante que você se comprometa com uma rotina diária de cuidados. Para simplificar sua vida, escrevemos os passos essenciais que você deve ter de manhã e à noite de acordo com seu tipo de pele.

Clique no seu tipo de pele e descubra:

Rotina de skincare para pele normal

Rotina de skincare para pele mista

Rotina de skincare para pele oleosa

Rotina de skincare para pele seca

Categorías
Todo sobre el embarazo

Babosa (Aloe Vera): benefícios para pele, cabelo e como usar

Saiba tudo sobre a babosa - Foto: Getty Images
Saiba tudo sobre a babosa – Foto: Getty Images

A babosa é o nome popular da Aloe Vera, uma planta também conhecida como Aloé Vera, Caraguatá, Erva babosa, Babosa de botica ou Babosa de jardim.

O nome popular «babosa» se deve por sua característica gelatinosa (a baba). Encontram-se catalogadas mais de 200 espécies de Aloe. Originária do norte de África, a babosa é famosa por seus benefícios estéticos e fitoterápicos.

A babosa tem propriedades regeneradoras e funciona como um antioxidante natural. Vários estudos internacionais têm ampliado os conhecimentos científicos a respeito dos efeitos benéficos da babosa na saúde das pessoas.

Entre eles ação anti-histamínica, anti-inflamatória e antioxidante. Ela pode também estimular a síntese de colágeno e é um vasoconstritor.

O gel da babosa tem resultados positivos para pesquisa clínica da psoríase e herpes simples.

A cicatrização de ferimentos e de acne possui resultados misturados nas pesquisas clinicas e portanto não há comprovação científica isolada para estas entidades.

No Brasil, seu uso tem autorização somente em produtos cosméticos e em medicamentos fitoterápicos de uso tópico com a função cicatrizante.

Por ser classificada na categoria de «novos alimentos», a aloe vera precisa de registro junto a Anvisa para ser comercializada nos alimentos.

Saiba mais:
Cronograma capilar: o que é e como fazer em casa

Nutrientes

Entenda como a babosa ajuda na hidratação - Foto: Getty Images
Entenda como a babosa ajuda na hidratação – Foto: Getty Images
  • As folhas são a melhor fonte de ativos da aloe vera
  • O gel é rico em ativos terapêuticos, cálcio, magnésio, sódio, potássio, selênio e zinco
  • É rica em vitaminas, A, B1, B2, B3, B5, B6 e C
Babosa contribui para a melhor cicatrização - Foto: Getty Images
Babosa contribui para a melhor cicatrização – Foto: Getty Images

Como consumir

A babosa tem sido muito utilizada para uso tópico, em cremes, loções, pomadas, sabonetes, shampoos, já que seus ativos contribuem para potencializar a hidratação e a cicatrização.

No Brasil, produtos à base de Aloe vera de uso tópico estão autorizados como fitoterápico para cicatrização. No entanto, não há registro de medicamento a base de Aloe vera para uso oral.

Em outros países, a aloe vera tem sido empregada como suplemento indicado e vendido para tratamento de obesidade. Pela Legislação Brasileira, somente cosméticos e medicamentos fitoterápicos podem ser fabricados industrialmente com esta planta.

Alimentos como suco e isotônico vendidos em outros países não têm sua produção autorizada no Brasil.

Não são recomendadas receitas caseiras para o consumo da babosa, pois a casca externa da babosa apresenta substâncias tóxicas quem podem desencadear sérios problemas de intoxicação estomacal.

Cuidados ao adquirir

Não utilize a planta natural, adquira apenas produtos à base de aloe vera autorizados pela ANVISA. Alimentos e bebidas ou qualquer outra forma de ingerir a aloe vera não são autorizados pela ANVISA.

O uso da babosa deve ser tópico e em casos de hidratação e/ ou cicatrização. Siga a recomendação específica do produto sobre a aplicação.

Efeitos colaterais da babosa

Há relatos de diarreia, disfunção dos rins e dermatites devido à ingestão da babosa. O uso tópico da planta pode causar alergias, irritação e edema local.

O informe técnico da ANVISA indica que as substâncias antraceno e antraquinona presentes na aloe vera são mutagênicas, ou seja, podem causar mutação nas células humanas.

Segundo o documento, a aloe vera apresenta produtos de biotransformação potencialmente tóxicos. Assim não possuem efeitos somente imediatos e facilmente correlacionados com sua ingestão, mas também efeitos que se instalam em longo prazo e de forma assintomática, podendo levar a um quadro clínico severo, algumas vezes fatal.

Riscos do consumo em excesso da babosa

A babosa contém substâncias que podem alterar o funcionamento do sistema digestivo, se consumida em excesso.

Fonte consultada

Tatiana Steiner, dermatologista, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia

Benefícios da babosa

  • Ação hidratante: A seiva da babosa, encontrada em sua parte interna, tem poder acelerador e regenerativo das células da pele
  • Ação cicatrizante: O ingrediente ativo da babosa é a aloe vera, que tem reconhecidamente uma ação anti inflamatória, calmante e cicatrizante
  • Aliada do cabelo: Devido ao poder hidratante, a babosa melhora a maciez e maleabilidade do cabelo
  • Boa contra a herpes:Há referências científicas de que o gel da babosa é antiviral contra herpes simples e varicela zoster.Contudo, não é orientado aplicar a planta caso tenha a doença, isto porque se a babosa for aplicada diretamente na pele pode causar irritação, piorando a lesão, e sua casca pode ser nociva para a saúde
Categorías
Todo sobre el embarazo

Receita: mousse de mamão proteica

Receita: mousse de tomate proteica
Receita: mousse de tomate proteica

Mamão é uma fruta que tem benefícios importantes para o bom funcionamento do organismo, principalmente do intestino. Confira a receita da culinarista Malu Lobo do site Nutra Saúde na Cozinha, que é liberada para pessoas em dietas com grandes quantidades de proteína.

Ingredientes:

  • 1 mamão papaia descascado e sem sementes em cubos
  • 1/2 xícara de açúcar mascavo (ou demerara ou adoçante forno e fogão)
  • 2 colheres chá rasa agar agar (ou 15 g gelatina sem sabor)
  • 4 claras em neve
  • 2 colheres de sopa de requeijão light ou tofu soft
  • 2 colheres sopa nibs de cacau para enfeitar (ou raspas de chocolate)

Como fazer:

Corte o mamão e o coloque em uma panela com o açúcar mascavo. Em fogo baixo, vá mexendo até o mamão começar a desmanchar, coloque o agar agar (ou a gelatina sem sabor dissolvida de acordo com as orientações do fabricante) e mexa mais uns três ou quatro minutos. Retire e aguarde esfriar. Enquanto isso, bata as claras em neve com uma pitada de sal até obter picos firmes. Coloque o mamão no liquidificador e acrescente o requeijão light, bata bem. Coloque o creme batido (reserve um pouco para enfeitar) nas claras e misture bem, mexendo devagar para incorporar, mas sem tirar o ar das claras. Dívida a mousse em seis taças e leve para a geladeira por no mínimo uma hora. Guarde o restante do creme em um refratário na geladeira para colocar quando a mousse estiver firme. Quando for servir, coloque um pouco da calda reservada e espalhe os nibs de cacau.

Rendimento

6 porções.