Categorías
Todo sobre el embarazo

Cloreto de magnésio: 5 benefícios do mineral e como tomar

O cloreto de magnésio é um dos principais suplementos do mineral magnésio, já que é o formato com que o mineral é melhor absorvido no corpo. O magnésio é um mineral necessário em diversos processos e reações do organismo, como no uso dos músculos, respiração e até uso do cérebro.

O cloreto de magnésio é um dos principais suplementos do mineral magnésio, já que é o formato com que o mineral é melhor absorvido no corpo.

O magnésio é um mineral necessário em diversos processos e reações do organismo, como no uso dos músculos, respiração e até uso do cérebro. Tamanha importância se deve ao fato do magnésio se relacionar com a produção de energia das células. Por isso sua deficiência pode trazer muitas consequências ao corpo, como constipação, problemas no controle da glicemia, problemas cardiovasculares e até mesmo no sistema nervoso.

Saiba mais:
Spirulina é rica em proteínas e um poderoso antioxidante

Por isso mesmo, muitas pessoas com problemas de saúde decorrentes da falta de magnésio podem se beneficiar com a suplementação desse nutriente, através do consumo do magnésio. No entanto, a substância não trará benefícios se a pessoa não tiver deficiência deste mineral.

Saiba mais:
Magnésio: benefícios e alimentos ricos nesse mineral

Portanto, se você acredita que o cloreto de magnésio pode te ajudar, procure antes um médico ou nutricionista que possa analisar se você tem deficiência do mineral e se ele realmente poderá trazer melhoras para sua saúde.

Benefícios do cloreto de magnésio em estudo

Colher com cloreto de magnésio - Foto: Getty Images
Colher com cloreto de magnésio – Foto: Getty Images

Alguns estudos mostram que o cloreto de magnésio pode ser benéfico para algumas situações, como:

1. Tratamento do diabetes

A insulina, hormônio responsável por colocar a glicose para dentro das células, precisa do magnésio para ser produzida e também para ajudar na metabolização do açúcar. Quando ele não cumpre seu papel corretamente, a pessoa desenvolve um quadro de diabetes.

Como pessoas com diabetes têm menos magnésio no organismo (ele costuma ser excretado com a glicose extra do sangue), estudos mostraram a suplementação de cloreto de magnésio em diabéticos melhorou a ação da insulina e consequentemente trouxe um melhor controle do quadro.

2. TPM e cólicas menstruais

O cloreto de magnésio pode ser eficiente para mulheres. Alguns estudos já mostraram que a suplementação do mineral pode reduzir a TPM e também as cólicas menstruais, se ele for tomado antes da menstruação. Mas não se sabe ainda ao certo o motivo dessa propriedade.

3. Redução de crises de asma

O magnésio parece ajudar quem tem asma, já que as crises são provocadas pela contração das paredes dos brônquios, estruturas que levam o ar para o pulmão, causando a falta de ar. Alguns estudos indicam que a suplementação com cloreto de magnésio ajuda a dilatar essas estruturas, evitando crises da doença.

4. Melhora da enxaqueca

O magnésio também tem o poder de relaxar os vasos sanguíneos, da mesma forma que relaxa os brônquios. Dessa forma, ele ajuda na enxaqueca, um tipo de dor de cabeça que ocorre justamente devido a contração e dilatação das veias do crânio.

5. Problemas de contração muscular em atletas

Pessoas que praticam muita atividade física podem perder magnésio no suor, e ele é extremamente importante para elas, já que possibilita a contração muscular. Portanto, atletas que suplementam cloreto de magnésio conseguem um rendimento melhor nos exercícios. Mas é importante ressaltar: isso não significa que o magnésio melhora a musculatura de quem não faz exercícios.

Cloreto de magnésio emagrece?

Não há evidências científicas de que o cloreto de magnésio possa ajudar a emagrecer. Ele realmente está envolvido no processo de quebra de gordura (chamado de lipólise), no entanto, para que a lipólise aconteça ela precisa primeiro de um estímulo, que normalmente é uma atividade física ou mudanças na dieta. Depois desse estímulo é que o magnésio atua, fazendo com que as células quebrem a gordura e a usem como energia.

Conclusão, o cloreto de magnésio pode até ajudar no emagrecimento, se houver deficiência do mineral, mas para isso ainda é preciso recorrer aos exercícios físicos e dieta balanceada.

Como preparar cloreto de magnésio

Cloreto de magnésio sendo diluído em água - Foto: Getty Images
Cloreto de magnésio sendo diluído em água – Foto: Getty Images

A melhor forma é comprar o cloreto de magnésio em pó e dilui-lo em água filtrada ou mineral. Você pode misturar duas colheres de sopa em um litro de água e consumir apenas 50 ml por dia, tomando uma colher de sopa por vez.

Quantidade recomendada

A quantidade diária recomendada de magnésio varia entre 500 e 1000 mg. Portanto, indica-se começar ingerindo 500 mg do cloreto de magnésio, mas diluindo essa dose ao longo do dia.

Como conseguir o magnésio naturalmente?

O magnésio pode ser encontrado em diversos alimentos. Sua maior fonte são os vegetais com folhas verdes, já que a clorofila é composta por magnésio. Mas ele também pode ser encontrado em boas quantidades em carnes e cereais e está presente de alguma maneira em quase todos os alimentos.

Alimentos fontes de magnésio

  • Farelo de trigo
  • Semente de abóbora
  • Nozes
  • Grão de bico
  • Aveia
  • Agrião
  • Beterraba
  • Abacate
  • Carnes
  • Lacticínios
  • Frutos do mar
  • Vegetais verdes

Os alimentos mencionados são biodisponíveis, principalmente as sementes, oleaginosas e folhas verdes. É interessante consumir as fontes de magnésio da forma mais natural possível, sendo que crus, cozidos no vapor ou grelhados são as melhores opções.

Saiba mais:
Albumina: o que é, para que serve e onde está presente

Quem tem deficiência de magnésio?

Cloreto de magnésio sendo jogado sobre mão de mulher - Foto: Getty Images
Cloreto de magnésio sendo jogado sobre mão de mulher – Foto: Getty Images

O magnésio é um mineral que pode ser encontrado em diversos alimentos, portanto a alimentação costuma suprir este nutriente. No entanto, existem algumas pessoas mais propensas à carência de magnésio, como:

  • Pessoas com diabetes: principalmente os que tem a doença mal controlada, já que o magnésio acaba sendo excretado pelo organismo junto com a glicose que não é absorvida pelas célula
  • Pessoas que ingerem álcool em grandes quantidades: já que a substância impede a absorção do magnésio
  • Idosos: com a idade o estômago produz menos ácido clorídrico, por isso o magnésio acaba sendo menos absorvido
  • Pessoas com dietas pouco balanceadas: o magnésio está presente principalmente nas folhas verdes, portanto quem evita esses alimentos pode ter deficiência do nutriente
  • Alta ingestão de refrigerantes: o fosfato nas bebidas à base de cola inibe a absorção do magnésio
  • Uso de suplementos de cálcio
  • Mulheres que tomam anticoncepcionais ou fazem reposição hormonal de estrogênio
  • Pessoas que tomam laxantes ou diuréticos, medicamentos que fazem com que esse mineral seja excretado mais facilmente.

Contraindicações

O cloreto de magnésio não surtirá efeito se a pessoa não tiver deficiência de magnésio no seu organismo. Além disso, pessoas com insuficiência renal não devem consumir o cloreto de magnésio, já que elas têm dificuldade de excretar o mineral.

Efeitos colaterais

O magnésio em excesso pode causar diarreia, perda de apetite, queda de pressão e fraqueza muscular.

Fontes e referências

Nutrólogo Roberto Navarro (CRM-SP 78392), membro da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN)

Nutróloga Tamara Mazaracki (CRM-RJ 52301716), pós-graduada em medicina ortomolecular

Nutrólogo José Alves Lara Neto (CRM-SP 53895), membro da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN)

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *