Categorías
Todo sobre el embarazo

5 estigmas sobre a menstruação que merecem ficar no passado

O corpo humano é repleto de ações biológicas involuntárias, mas vitais. É preciso piscar, dormir, comer e ir ao banheiro, por exemplo. Mas quando se trata exclusivamente do corpo feminino, um processo que é totalmente natural costuma ser encarado com certa estranheza por homens e mulheres: a menstruação.

O corpo humano é repleto de ações biológicas involuntárias, mas vitais. É preciso piscar, dormir, comer e ir ao banheiro, por exemplo. Mas quando se trata exclusivamente do corpo feminino, um processo que é totalmente natural costuma ser encarado com certa estranheza por homens e mulheres: a menstruação.

Do ponto de vista biológico, a menstruação é definida como a descamação do endométrio, uma camada de tecido que reveste o interior do útero, que fica mais denso durante o ciclo menstrual para receber o embrião. Porém, quando o óvulo não é fecundado, o corpo o elimina juntamente com o tecido do útero.

A menstruação acompanha as mulheres por anos e durante o tempo pode variar de cor, aspecto e intensidade, servindo inclusive de alerta para disfunções e doenças. Porém, se ela é algo tão natural, acontece – na maioria das vezes – mensalmente e pode ajudar a saúde feminina, por que a menstruação ainda é tratada como se fosse um segredo e é rodeada de estigmas?

Para Ana Paula Aquino, ginecologista da Huntington Medicina Reprodutiva, esse foi um processo histórico. «Há muito tempo sabemos que a menstruação é considerada algo estranho, fora do comum, isto é, esses tabus são antigos. A população não sabia o que era, como acontecia, não conhecia, então era mais fácil taxar ‘essa coisa’ como estranha (…) as pessoas não tinham a ciência para explicar tudo isso».

Então, para entender e questionar esses pensamentos antigos, separamos abaixo cinco estigmas sobre a menstruação que merecem ficar no passado!

1 – A menstruação é negativa porque altera o corpo feminino

A menstruação pode ser vista como algo negativo devido às alterações hormonais, físicas e de humor. A verdade, porém, é o contrário, pois trata-se de um processo natural do corpo.

«A menstruação marca o final de um ciclo. O corpo da mulher se prepara todo mês para uma gestação. Quando não existe a fecundação, ocorre a descamação do endométrio, que é a nossa menstruação, ou seja, ela é um sinal positivo de um ciclo que está se completando. Então, de modo geral, toda mulher menstrua e a menstruação não é algo ruim na vida da mulher, por isso é importante quebrar esses estigmas», Jéssica Trafani, ginecologista e obstetra da Clínica Mantelli

Além disso, Ana Paula completa: «quando a menstruação está ocorrendo de forma regular, ela mostra que o ciclo hormonal daquela mulher está funcionando em perfeito estado. E, a menstruação pode trazer benefícios para as mulheres, como aumento da libido».

2 – O odor do sangue menstrual é incômodo

Outro mito muito presente na vida de jovens e mulheres está em torno do sangue menstrual, que pode ser visto como não higiênico ou até mesmo fétido, quando, na verdade, o sangue tem, apenas, cheiro de sangue.

«O sangue menstrual é a descamação do endométrio, então ele não é sujo. Já o odor, é de sangue. Mas, se o sangue fica muito tempo acumulado no absorvente, isso pode trazer um odor característico», explica a ginecologista Jéssica Trafani. Portanto, a recomendação é realizar a troca do absorvente a cada quatro horas ou de acordo com a intensidade e necessidade do fluxo.

3 – O período menstrual deixa as mulheres lentas e/ou menos produtivas

«Piadas» sobre o rendimento e a produtividade de uma mulher que está no seu período menstrual não são incomuns, por isso muitas delas tentam esconder que estão menstruadas. Porém, menstruar não as tornam diretamente menos produtivas.

O que pode acontecer é o aparecimento de sintomas físicos, como cólicas e dores de cabeça, que são provenientes das alterações hormonais. Porém, se esses sinais são intensos a ponto de atrapalhar a rotina da mulher, ela deve procurar um especialista para entender se há alguma disfunção maior que está causando esses incômodos.

4 – As mulheres não podem lavar o cabelo durante o período menstrual

«Andar descalça aumenta a cólica»; «As mulheres não devem lavar o cabelo durante o período menstrual»; «Mulheres menstruadas não podem cozinhar, pois ‘desandam’ a comida». Não são poucas as crenças que cercam a menstruação e aumentam os estigmas sobre o assunto, quando, na verdade, esclarece a ginecologista e obstetra Jéssica, não existem comprovações científicas que esses hábitos sejam verdadeiros.

5 – As mulheres ficam mais nervosas durante o período menstrual

A famosa tensão pré-menstrual (TPM) ganhou uma visão negativa, fazendo com que durante essa fase do ciclo menstrual as mulheres sejam vistas como histéricas ou emotivas demais.

De fato, durante a TPM, assim como durante o período menstrual, algumas mulheres podem ter alterações hormonais mais significativas que impactam o humor e até o corpo físico das mulheres. «Os hormônios sexuais femininos têm uma ligação direta com as endorfinas, que são substâncias naturais ligadas à sensação de prazer, e os neurotransmissores, como a serotonina. Então, a queda abrupta dos hormônios sexuais altera a produção da endorfina, causando as alterações de humor», esclarece a ginecologista Jéssica Traffani.

Mas, apesar dessa realidade, promover comentários sobre o estado da mulher, seja durante o período menstrual ou não, pode causar desconfortos emocionais, impactando inclusive na auto-estima da mulher.

Por que e como mudar a visão sobre a menstruação?

Pode-se dizer que o principal motivo para questionar e possibilitar as mudanças sobre o período menstrual se dá devido à visão histórica e negativa, que tende a impactar a vida das mulheres, em todas as idades e de diferentes maneiras.

A médica ginecologista Ana Paula lembra, por exemplo, da vergonha. «A mulher acaba tendo vergonha de muita coisa. Você não vê uma mulher pegando um absorvente e deixando ele solto na bolsa. Está sempre em um saquinho colorido, em uma carteira. Ela acaba tendo vergonha de estar menstruada».

Enquanto Jéssica Trafani ressalta outro ponto fundamental: a vergonha pode fazer com as mulheres deixem de buscar assistência médica e, em casos de alterações graves, como cólicas muito intensas, elas podem achar que o sintoma é normal, o que adia ainda mais o diagnóstico de doenças como a adenomiose e a endometriose, por exemplo.

Para Ana Paula, a conversa entre homens e mulheres, nas escolas, em casa e em campanhas publicitárias se fazem necessárias para incentivar a conscientização e a educação sobre a saúde feminina, corpo da mulher, bem como a menstruação que, ao longo da história também ganhou eufemismos para não se falar no próprio termo, incluindo o «estar de chico», que se refere à chiqueiro, sujeira.

E Jéssica Trafani reforça: «quanto mais falamos sobre um assunto, mais abrimos a nossa cabeça sobre isso. E não só para as mulheres, mas para os homens, para que a sociedade inteira saiba que isso é normal, que não podemos ‘prender’ um período menstrual com alguns estigmas, principalmente sobre mudanças de humor e rendimento de uma mulher durante o período menstrual», finaliza a ginecologista.

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *